Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
APOSENTADORIA

Corredor amazonense Sandro Viana anuncia aposentadoria para se tornar ‘herói olímpico’

Medalhista olímpico na prova de 4x100m rasos na Olimpíada de Pequim de 2008, ele recebeu convite especial do Comitê Olímpico Brasileiro (Cob) e da Confederação Brasileira de Atletismo (Cbat)



show_1186866_4823CEF7-D701-479C-AD78-7CF2C341D1E4.jpg
Foto: Arquivo A Crítica
26/03/2019 às 14:10

Ao completar exatos 42 anos, o corredor amazonense Sandro Viana, medalhista olímpico na prova de 4x100m rasos na Olimpíada de Pequim de 2008, divulgou a aposentadoria das pistas de atletismo, durante coletiva de imprensa na manhã de hoje (26) na Galeria Olímpica da Arena da Amazônia, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Na ocasião, Sandro disse que um dos motivos que o auxiliou a tomar a decisão de “pendurar as sapatilhas” foi o convite do Comitê Olímpico Brasileiro (Cob) juntamente com a Confederação Brasileira de Atletismo (Cbat) de torná-lo herói olímpico.

“Recebi o convite no mês de janeiro em uma ligação, e para isso teria que me aposentar. Não é fácil tomar uma decisão dessas. Sei da importância que é a minha carreira para os jovens e, por isso, quero ser incentivador do esporte, ficando mais próximo deles ainda, mostrando que é possível um atleta amazonense ter sucesso no mundo esportivo”, disse Sandro.

A coletiva também contou com a presença da presidente da Federação Amazonense de Atletismo, Marleide Borges, que, emocionada, lembrou quando conheceu Sandro Viana, na antiga pista de atletismo da Vila Olímpica de Manaus, no bairro Dom Pedro.

“Na época nos tínhamos um projeto na Vila (Olímpica), onde tinha uma faixa etária, que era até de 17 anos. Foi quando o Sandro apareceu e perguntou como fazia para participar. Perguntei a idade e ele me respondeu 24. Mas técnico sabe quando o jovem tem porte para o esporte e foi o que eu vi naquele rapaz alto e magro. Tenho orgulho não só do atleta que ele se tornou, mas principalmente do ser humano, que se importa com os jovens da cidade dele”, terminou a fala aos olhos marejados.

Quem também compartilhou uma lembrança com o atleta olímpico, foi o presidente da Cbat e da Confederação Sul-Americana de Atletismo (Consudatle), Roberto Gesta, ao se referir que, sem apoio, Sandro tinha que “burlar a segurança” da Vila para fazer seus treinamentos.

“Já bem tarde da noite, ele (Sandro Vianna) pulava o muro da Vila para ter acesso a pista de atletismo. Fazia seus treinos no escuro, as vezes sozinho, e aquilo me chamou a atenção, a força de vontade dele. Foi então que um dia eu marquei com ele às 18h, na Vila, e dentro do meu carro, falei que poderia levá-lo para São Paulo e que ele trinasse com o melhor técnico do Brasil. Ele aceitou e o resultado, todos vocês já sabem”, disse.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.