Publicidade
Esportes
Craque

Corrida Contra o Preconceito reuniu mais de mil pessoas na Ponta Negra, neste domingo (30)

Um evento pela cidadania e contra o preconceito agitou os adeptos das corridas de rua. Cerca de 1,2 mil corredores participaram da prova organizada pela Semsa em prol da saúde e contra a discriminação às pessoas portadoras do víris HIV  01/12/2014 às 12:06
Show 1
Primeira edição da Corrida Contra o Preconceito levou mais de 1,2 mil atletas pro Complexo Turístico Ponta Negra.
ACRITICA.COM Manaus (AM)

A primeira edição da Corrida contra o Preconceito, realizada neste domingo (30) botou pra correr mais de 1,2 mil participantes no circuito de 4km, montado na Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus. A largada foi dada às 16h, com a presença de atletas de alta performance e amadores. A iniciativa apoiada pela Secretaria Municipal de Saúde (Susam) teve como objetivo mobilizar a sociedade para o combate a qualquer tipo de preconceito e discriminação, principalmente, contra pessoas portadoras do vírus HIV.

O prefeito Arthur Neto, foi representado pela primeira-dama e titular da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), Goreth Garcia. “É uma iniciativa muito importante e que sempre dá certo: unir esporte com a consciência de que é preciso afastar qualquer preconceito presente na sociedade. A corrida vem de encontro com o que a Prefeitura de Manaus preconiza para uma Manaus cada vez melhor”, destacou Goreth.

A competição foi idealizada como forma de marcar o Dia Mundial de Combate à Aids, comemorado nesta segunda-feira (1º), chamando a atenção da sociedade para o combate ao preconceito contra pessoas que vivem com a doença. A procura por participação na corrida foi muito grande e as vagas foram preenchidas praticamente em um único dia.

O custo da inscrição foi de dois quilos de alimentos não perecíveis (exceto sal e açúcar), que serão doados a pessoas de baixa renda vivendo com HIV, atendidos nos Serviços de Atendimentos Especializados em DST/AIDS. O material arrecadado foi entregue para a coordenação do evento no momento do recebimento do kit de participação.

“A maior prova de que estamos no caminho certo, é a motivação das pessoas em participar da corrida. Nós tivemos aqui cerca de 1,2 mil pessoas correndo e afastando o preconceito do convívio delas”, disse o secretário municipal de saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

A prova, para grande parte dos competidores, durou cerca de 30 minutos e, para todos que completaram a corrida, a medalha de participação, além de hidratação e um lanche para garantir a nutrição depois da corrida, em tarde ensolarada e dia quente em Manaus. “Tudo ocorreu como programamos. Esta é só a primeira edição e, certamente, outras virão com o mesmo sucesso”, disse a chefe do núcleo de DST/Aids da Semsa, Adriana Sousa.

Vencedores

Os vencedores da I Corrida Contra o Preconceito exaltaram o espírito da prova. Em primeiro lugar no naipe feminino, a atleta Willy Nascimento é conhecida nas corridas de rua. “Além de promover o esporte e ajudar a gente a treinar para provas mais longas, esta corrida é importantíssima para afastar das pessoas o preconceito”, disse a atleta.

Entre os homens o vencedor foi  Juscelino Castro, que mostrou que está em excelente fase. “Muito feliz em ganhar, mas feliz também em poder contribuir com a intenção de combater o preconceito”, completou o vencedor.

Estrutura e Saúde

Uma ambulância e duas motolâncias do Serviço de Atendimento Móvel de sapude (Samu) estiveram no apoio próximas do local da chegada para qualquer eventualidade. Um espaço kids animou a criançada durante o evento e, uma parceira com a editora Abril, levou para o calçadão uma máquina fotográfica com impressora onde os atletas puderam registrar a participação no evento.  

Publicidade
Publicidade