Quarta-feira, 24 de Abril de 2019
publicidade
lu.JPG
publicidade
publicidade

Na Bulgária

Craque amazonense recepciona técnico Paulo Autuori no Ludogorets

Meia nascido em Manacapuru, Marcelinho (à direita) joga no Ludogorets desde 2011 e recebeu de braços abertos o novo comandante do clube, para a nova temporada.


07/06/2018 às 14:48

Depois de passar pouco mais de duas semanas de férias em Manacapuru, a temporada para o meia Marcelinho, do Ludogorets, começou oficialmente nesta quarta-feira (6), e com comandante novo no pedaço. O técnico Paulo Autuori, 61, foi apresentando oficialmente no time búlgaro e foi recepcionado pelo craque amazonense.

Marcelinho, que acaba de conquistar o heptacampeonato búlgaro com o Ludogorets, falou da chegada de Autuori, que pediu demissão do cargo de diretor de futebol do Fluminense no fim do mês passado, ao clube búlgaro. 

"Autuori é um grande treinador, com nome grande no Brasil. A expectativa de iniciar os trabalhos com ele é muito grande. Hoje (ontem), tive o primeiro contato no campo e é muito cedo ainda pra falar sobre qualquer tipo de impressão. Mas todo o grupo, não só os brasileiros que aqui têm - que é bastante, nove -, mas os romenos, búlgaros, todos querendo que inicie logo trabalho e a expectativa é só de coisas boas”, comentou.

No Ludogorets desde 2011, Marcelinho esteve presente em praticamente todas as conquistas do clube na Bulgária. No entanto, o objetivo maior do manacapuruense é seguir tentando o título mais cobiçado pelo times europeus.

Sétima taça do Búlgaro, Marcelinho é ídolo no Ludogorets (foto: Divulgação) 

“Na verdade, depois da conquista do título búlgaro, a gente foca totalmente nas competições européias: na Champions League ou Liga Europa. Lógico que o primeiro pensamento é sempre a Champions, mas a Liga Europa, de todo, não é ruim. Agora é foco e preparação total pros “playoffs” da Champions”, observou  o meia apontando um dos motivos da contratação de Autuori.

publicidade

“Não sei exatamente porquê a troca. Talvez por ter muito brasileiro (no time), pode ser por isso. Os brasileiros que aqui estão deram certo. São muito profissionais e ajudaram nas conquistas do clube. Talvez por isso o presidente aposte num treinador brasileiro pra comandar o Ludogorets e fazer crescer mais ainda”, enfatizou Marcelinho.

Férias e Copa

Naturalizado búlgaro, Marcelinho até defendeu as cores da seleção búlgara nas Eliminatórias Europeias, mas não conseguiu levar os “Demônios” para a Copa 2018. Mesmo assim o meia apontou seus favoritos a erguer o caneco na Rússia.

“Como sempre falo, o Brasil é sempre favorito. Lógico que tem a Espanha, que não é nenhuma surpresa. Também tem a Alemanha, que é a atual campeã. Acho que quem pode surpreender mesmo é a própria Bélgica, que tem uma grande seleção”, opinou o manacapuruense, que curtiu bastante as férias na Terra das Cirandas.

“Fiquei dez dias em São Paulo e depois passei 15 dias no Amazonas, em Manacapuru. Foi muito bom, deu pra aproveitar bastante a família, matar a saudade da comida, da culinária amazonense, que a gente sente bastante falta (risos). Comi de tudo aí, peixe, açaí e todas as coisas boas que a gente tem e foi bem aproveitado. Agora, só em dezembro (férias), com todos os objetivos, até lá, conquistados. E, se Deus quiser, a gente vai estar na Champions League”, concluiu.

publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.