Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019
Craque

CRAQUE bate um papo com Andrade, eterno ídolo do Flamengo

Eterno ídolo do Fla, o técnico campeão Brasileiro de 2009 fala com exclusividade ao CRAQUE



1.jpg Vencedor Ex-volante do Fla exibe orgulho os prêmios conquistados na carreira
30/11/2013 às 19:04

Há uma dívida de gratidão ainda não depositada pelo Flamengo na conta de Andrade, ex-jogador, ex-técnico e eterno ídolo do clube mais popular do País.

Renegado pelo rubro-negro, Andrade vive hoje a cruzar o País como técnico da seleção Master para sobreviver, assim como Adílio, Júlio César e outros remanescentes da histórica conquista mundial de 1981. As contas do ídolo são pagas com dinheiro do aluguel de alguns imóveis e os bicos das viagens pelo Master. É pouco para quem dedicou uma vida inteira ao time da Gávea.

Andrade está a um ano e meio desempregado. Não teve contrato renovado em 2009, mesmo quando foi o treinador do título brasileiro conquistado por um time que tinha Adriano, Petkovic e cia. Andrade teve 76% de aproveitamento como técnico e calou a boca dos que insistiam de secar o Flamengo.

Naquele ano, foi a redenção de Andrade à beira do campo, cujo comando foi marcado pela simplicidade, pelo diálogo e pela meritocracia. “Jogava quem estava melhor na posição”.

O título, porém, não foi suficiente para credenciá-lo a continuar no comando da equipe rubro-negra. A então presidente Patricia Amorim preferiu outro nome, outra filosofia de trabalho. “Não entendo até hoje o que houve. Eu sai com 76% de aproveitamento. A torcida queria que eu ficasse”.

O Inferno astral Andrade vive atualmente aquilo que se pode considerar o inferno astral. Além do desemprego e de um tempo de vacas magras, ele caiu doente, com direito a 15 dias na UTI em razão de uma infecção causada por uma bactéria após ser submetido a uma artroscopia no joelho. Deu também trombose, embolia pulmonar, febre de 42 graus. Não teve apoio de ninguém da diretoria do clube. O tratamento foi pago por ele próprio no hospital da Unimed, na Barra da Tijuca, onde mora com esposa Edna o os filhos, os únicos, além de alguns amigos contatos nos dedos, a lhe darem força.

Mas Andrade é “osso duro de roer” e resistiu a tudo. Está hoje em tratamento intensivo - fisioterapia - para curar sequelas no joelho e aguarda convite para treinar algum time de tradição.

Andrade teve uma passagem apagada pelo Brasiliense (DF). “Gostaria de comandar um time com um grupo bom, condições de trabalho e tempo para uma boa pré-temporada. Assim, dá para fazer um bom trabalho. Estou nessa expectativa agora”. 

Jorge Luis Andrade

1 Quais seus planos para 2014 como treinador?

Primeiramente, ficar 100% do joelho, pois a dor incomoda muito. Gostaria de receber uma proposta boa de um clube que confie no meu trabalho, que me dê condições para eu implantar meu planejamento, com um bom grupo, e que façamos uma boa pré-temporada. Assim, dá pra fazermos um bom trabalho e determinarmos objetivos para o decorrer do ano.

2 Você trabalharia num clube do Norte? Já recebeu proposta de algum?

Passei rapidamente pelo Paysandu, mas não tive tempo de trabalhar o grupo da forma ideal. Eu fui sondado pelo Nacional, de Manaus, mas a proposta financeira que me fizeram foi aquém do que eu esperava. Mas estou aberto a conversar e analisar propostas.

3 Você tem alguma mágoa do Flamengo. Alguém da diretoria lhe prejudicou como profissional ?

Do clube, jamais, até porque eu tenho uma história vitoriosa no Flamengo, de bom relacionamento com a torcida. Tenho mágoa de algumas pessoas da diretoria, que realmente não reconheceram a minha história no clube, que não admitiram que minha filosofia de trabalho foi correta, foi vencedora. Mas isso não muda o que já fiz pelo Flamengo e a minha paixão pelo clube.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.