Publicidade
Esportes
O dono da festa

Craque que deu título ao Princesa conta sua história em Manacapuru

De volta para casa, Marraquete deve embarcar rumo a Gurupi, no Tocantins, onde está sua família 28/05/2013 às 13:09
Show 1
Antes do título, Marraquete chegou a ser homenageado no aniversário
Paulo Ricardo Oliveira Manaus

Marraquete, 34, teve na segunda-feira(27) um dia de príncipe no Princesa do Solimões. O zagueiro dormiu o sono dos vitoriosos, acordou para receber a premiação pela con quista inédita do Estadual, além de ter sido festejado por dez entre dez torcedores do Tubarão nas ruas de Manacapuru (a 84 quilômetros de Manaus). Foi Marraquete, nascido em Gurupi, a 240 quilômetros de Palmas, que fez o gol na decisão por penalidades que garantiu o histórico campeonato. 

O feito garante o clube na Série D do Brasileirão no próximo ano. O direito de disputar a Copa do Brasil já havia sido assegurado pela conquista do primeiro turno. São competições antes inimagináveis para as pretensões do Tubarão. “Foi uma conquista muito especial para mim como profissional. Tive a sorte de marcar um gol nas penalidades, mas o título é do grupo como um todo. A união fez a força do Princesa”, disse.

Ainda que tenha sido um herói, Marraquete pode se considerar desempregado, porque seu compromisso com o Princesa acabou no domingo. “Não tenho proposta oficial nenhuma até agora. O que houve foi sondagens feitas pelo Gurupi (TO) e Independente (PA), mas não há nada certo”, garante.

Indicação do capitão do time, Rondinelli, Marraquete enfrentou a desconfiança da torcida no início da temporada, o que lhe deixou, segundo ele, um tanto inseguro quanto à sua permanência no clube. “Mas com o passar do tempo a torcida viu que eu estava comprometido. Acho que fiz boas partidas”.

Publicidade
Publicidade