Publicidade
Esportes
Craque

Crise no Botafogo aumenta e técnico teme saída de jogadores

Clube carioca atravessa graves problemas financeiros. O treinador do time teme a debandada dos atletas por falta de pagamento 01/08/2014 às 13:25
Show 1
Vagner Mancini treina a equipe tentando animar os atletas descontentes com a situação financeira do Botafogo.
ACRÍTICA.COM Manaus (AM)

O técnico do Botafogo, Vagner Mancini, concedeu entrevista após treinamento na manhã desta sexta-feira (1º) e confessou o temor por dias ainda piores pelos lados do time da Estrela Solitária. Com a grave crise financeira que se instalou no clube, o comandante da equipe se diz receoso com a possível saída de alguns atletas descontentes com o atraso de salários.

No último domingo (27), antes do clássico contra o Flamengo no Maracanã, os jogadores entraram em campo portando uma faixa, externando seu desconforto com a situação. De acordo com os atletas, o clube lhes deve cinco meses de direito de imagem, três em carteira de trabalho e mais depósitos do Fundo de Garantia sobre o Tempo de Serviço (FGTS).

Segundo o que consta na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), isso já bastaria para qualquer jogador entrar na Justiça do Trabalho e pedir a quebra de contrato. Se isso vier a ocorrer, o clube devedor perde o direito de venda sobre o atleta.

"A diretoria não se posicionou (sobre a possível saída de jogadores) mas, sinceramente, tenho que temer. Não tenho como ficar alheio ao que está acontecendo, pois a situação é gravíssima. Espero que não aconteça porque, por trás disso, existe uma instituição e uma marca forte", revelou Mancini.


O treinador do Fogão sabe das dificuldades, mesmo assim entende que seu papel como comandante da equipe é de ser o último a abandonar o barco. O Botafogo tem uma dívida acumulada que chega a espantosa cifra de R$ 700 milhões e pouca perspectiva de sair do quadro difícil que se encontra.

"Sempre fui um cara otimista e estou fazendo com que meu limite seja o maior possível. Estou no clube há quatro meses, mas há jogadores sem salários há seis, então há a necessidade de uma decisão. É inadmissível para um clube com uma história tão grande. Sinceramente, espero que tenhamos meios para administrar essa situação.”, desabafou o técnico.

O treino desta sexta-feira, no estádio do Engenhão, foi novamente escoltado por uma viatura policial. O volante Airton cumpre suspensão, e não joga. Edilson deve ser improvisado no meio com Lucas ocupando a lateral direita. O atacante Emerson foi poupado, mas não deve ser problema para o jogo contra Cruzeiro, às 18h30, neste sábado (2), no Maracanã.


Publicidade
Publicidade