Terça-feira, 20 de Agosto de 2019
Craque

Crítica a rival e desentendimento da diretoria ofuscam lançamento da camisa do Rio Negro

Desentendimento na escolha do jogador que vai vestir a camisa 100 nos jogos do Estadual foi o motivo. Camisa comemorativa será utilizada na temporada 2013



1.jpg Entre críticas e desentendimentos, uniforme do Rio Negro é apresentado
14/02/2013 às 17:40

O lançamento do novo uniforme do Rio Negro para a temporada 2013 teve crítica ao rival e desentendimento da diretoria sobre a escolha do jogador que vai vestir a camisa 100 em homenagem ao centenário do clube. O lançamento realizado na tarde desta quinta-feira (14) na sede do clube levou torcedores e simpatizantes a acompanharem o evento.

Empolgado com a apresentação do novo manto rionegrino que teve a presença das princesas do Rio Negro, o diretor de futebol, Robson Roberto, que apresentou o evento aproveitou para criticar os adversários.

“Aqui não temos apadrinhados, não temos padrinhos. Tudo é feito com dificuldade e no domingo vamos vencer com gol de canela”, afirmou o diretor ao iniciar o evento com meia hora de atraso.

No momento da apresentação dos jogadores - Alex, Pastor, Maranhão e Alisson que vestiram a camisa no evento -, Robson aproveitou para falar que alguns jogadores estarão residindo em um hotel da capital e não serão desamparados pelo clube.

“Nosso atleta ficará hospedado no hotel Mônaco. Ele veio da Ponte Preta e estamos dando estrutura. Ninguém aqui vai ficar jogado pela cidade ou debaixo de ponte”, declarou o dirigente se referindo ao atacante Alisson.

Ao anunciar o atacante Maranhão como o jogador símbolo do centenário, Robson foi impedido de forma contida pelo presidente do clube, Eymar Gondin, e a primeira dama, Hebe Pereira, de anunciar o nome do jogador, pois uma votação feita pela torcida apontou o jogador Pastor como favorito.

“Ainda vai ser decidido? Foi uma votação feita com a torcida?”, indagou, “meio perdido”, o diretor que ficou visivelmente aborrecido com a situação.


Questionado sobre o nome do jogador que vestirá a camisa 100 nos jogos, Eymar tratou de desconversar e afirmou que a torcida escolheu um jogador.

“A disputa foi decidida de forma democrática pelos torcedores e a disputa ficou entre Maranhão e o Pastor, mas o Pastor foi muito mais votado. O que aconteceu foi que o Robson, antes de começar a entrevista, ouviu uma conversa e que o Pastor havia recusado a vestir a camisa, o que não é verdade”, afirmou o presidente.

Alguns torcedores sem entender a situação afirmaram que não ouve nenhuma votação para a escolha do atleta.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.