Publicidade
Esportes
Craque

Dante não consegue esquecer o vexame na goleada por 7 a 1 contra a Alemanha. Ele era titular naquele jogo

Zagueiro da Seleção na Copa concedeu entrevista ao site da Fifa e afirmou que o grupo não estava preparado psicologicamente para as adversidades 17/11/2014 às 21:23
Show 1
Dante revelou que ainda sofre com a derrota por 7 a 1 para Alemanha
acritica.com Manaus (AM)

A goleada sofrida pela Seleção Brasileira diante da Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo, por 7 a 1, ainda dói nos torcedores, e principalmente, nos jogadores. O zagueiro Dante é um dos primeiros atletas daquele grupo a admitir que a derrota vexatória foi resultado do despreparo psicológico dos jogadores. O atleta do Bayern de Munique concedeu uma entrevista ao site da Fifa, onde falou sobre o assunto.

“Para mim, o que aconteceu foi que, psicologicamente, não nos preparamos de forma adequada para a Copa do Mundo. Tínhamos que nos colocar na posição de favoritos e incorporar a necessidade de vencer, mas respeitando o esporte e o que ele tem de imprevisível. Quando nós vimos que tomamos o segundo e o terceiro gols, nós simplesmente não aceitamos o fato. Não raciocinamos. Não pensamos que era preciso encarar a situação e ser mais inteligentes. Em vez disso, nossa reação era de: 'Isso não é possível. Não pode acontecer. Nós temos obrigação de ganhar a Copa. Vamos para frente'. E, então, isso virou um choque, que ocasionou o 7 a 1”, revelou.

O zagueiro também explicou que a seleção não estava preparada para enfrentar as adversidades.


“O placar não reflete a diferença de qualidade entre os dois times, mas sim a forma como, psicologicamente, nos colocamos naquele Mundial. Por causa da pressão, não estávamos preparados para adversidades. Desde a Copa das Confederações, em todos os jogos - com exceção da estreia da Copa, contra a Croácia, que foi dificílima - nós saímos na frente no placar e quase sempre cedo. Nós estávamos preparados para sermos campeões, mas não para enfrentar adversidades. E esse clima de 'temos que ganhar' pode até fazer bem para o trabalho em alguns momentos, mas, psicologicamente, é preciso ter mais visão do que isso”.

Dante admitiu e não esconde que o “pesadelo” vivido no Mineirão jamais será esquecida, além da dor que permanece.

“Eu já revi alguns lances, sim. E não tenho problema em falar a respeito, não. Não tenho medo de críticas ou de ouvir o lado negativo. Não vou nunca me esquecer e ainda dói. Dói muito quando penso naquele dia e só ganhando novos títulos na vida vai ajudar a passar essa dor, mas falo tranquilamente”, afirmou.

Publicidade
Publicidade