Publicidade
Esportes
Craque

De bandeja: na lateral ou no ataque, Romarinho é o ‘garçom’ do Fast Clube no Barezão

Em menos de dois meses no Campeonato Amazonense, o polivalente jogador já deu seis assistências para gols no torneio. Pelos pés do piauiense saíram 15% dos tentos do Rolo Compressor 27/05/2015 às 09:40
Show 1
Romarinho tem servido muito bem os companheiros de ataque do Fast Clube e é o garçom do time.
Denir Simplício Manaus (AM)

Ser ágil, atencioso e  prestativo. Essas são algumas das qualidades de um bom garçom. Justamente alguns dos dotes de Romarinho.  Com seis passes para gols no Campeonato Amazonense, o jogador do Fast Clube se tornou o rei de assistências no Barezão e tem feito a alegria dos artilheiros do Rolo Compressor. De bandeja em bandeja, Romarinho vem servindo os companheiros de equipe, além de ser fundamental para o Tricolor se tornar o melhor ataque do Brasil.

Polivalente,  Romarinho é atacante, mas começou jogando na lateral-esquerda na vaga de Rodrigo Ítalo, na goleada de 8 a 1 sobre o Rio Negro, na 9ª rodada do Amazonense e desde então não saiu mais do time. O jogador afirma que se dá bem nas duas posições e quer mesmo é estar em campo. “Pra mim não tem uma posição preferida,  o importante e eu está jogando e tendo oportunidades”, disse.


Com dois gols no Estadual, o jogador de 25 anos foi indicado pelo técnico João Carlos Cavalo, com o qual já trabalhou em 2013, no Formosa, e no ano passado, no Sobradinho, ambos de Brasília.

Batizado Romário Luiz da Silva em homenagem ao Baixinho tetracampeãodo mundial com a Seleção e que brilhou na Espanha com a camisa do Barcelona, Romarinho estava no União Rondonópolis, de Mato Grosso,  antes de vir para o Tricolor de Aço.  

Veloz no atendimento

Uma das principais características de Romarinho é a rapidez no “atendimento” aos companheiros de time. Sempre atento e esperto o jogador foi decisivo no duelo com o Nacional, no qual aproveitou o vacilo da zaga do Leão e acabou sendo mais rápido que Rodrigo Ramos e sofreu o pênalti que deu a vitória no último  Pai-Filho.


Atleta de personalidade, Romarinho não se sente pressionado pelo longo jejum de títulos do Rolo Compressor. “Não me sinto pressionado. Claro que vim pra cá com o intuito de ser campeão. Mas pressão tem em todo lugar e isso é bom porque motiva”, disse Romarinho, lembrando que já foi campeão com o Formosa sob o comando de Cavalo.

Totalmente adaptado ao “serviço” no Fast Clube, Romarinho, que ora joga no ataque, ora na defesa, leva ao pé da letra as ordens do comandante fastiano. “O Cavalo me pedi pra marcar primeiro e quando conseguirmos a bola, sair em velocidade. E, se caso perder (a posse de bola), recompor de novo rapidamente”, explicou o jogador.

Publicidade
Publicidade