Publicidade
Esportes
Barezão Feminino

De Gavião a Leão, Igor Cearense tenta feito inédito no futebol baré

Auxiliar-técnico no Manaus FC na conquista do Barezão masculino este ano, Igor Cearense tenta também levantar a taça do Estadual no Feminino 28/10/2017 às 16:06 - Atualizado em 28/10/2017 às 16:16
Show ai
Ex-craque de Flamengo, Coxa e Fortaleza, Igor tenta titulo com o Penarol (Foto: Winnetou Almeida)
Denir Simplício Manaus (AM)

A vida às vezes te leva por caminhos jamais imaginados. Assim foi com Igor Carlos da Silva Freire, 38, mais conhecido como Igor Cearense. O ex-meia do Flamengo, Coritiba e Fortaleza, que veio pro Amazonas em 2010 pra atuar no Nacional, até sonhou um dia se tornar treinador de futebol, mas nunca se viu comandando  um time feminino.

Semifinalista do Barezão Feminino com o Penarol, em jogo marcado para hoje, às 17h30, no estádio Carlos Zamith, Igor Cearense luta por um feito inédito: levantar a taça do Amazonense no masculino e no feminino na mesma temporada. Campeão como auxiliar-técnico do Manaus FC este ano, Igor confessa que foi pego de surpresa no comando das “Leoas da Velha Serpa”.

“Sou admirador do futebol feminino, mas nunca tinha imaginado ser treinador delas. Estou muito feliz e realizado na forma que realizamos o trabalho. Mesmo sendo um trabalho a curto prazo”, revelou o técnico que pontuou a principal diferença entre treinar homens e mulheres. 

“A única grande diferença que percebi é que elas obedecem mais rápido. Vamos dizer que quero que elas joguem de uma forma e elas obedecem com mais rapidez, vejo isso. Elas têm mais obediência tática do que os homens”, comentou Igor, que por coincidência é amigo do atual comandante da Seleção Brasileira. 

Igor foi auxiliar de Aderbal Lana no Manaus FC no Barezão Maesculino 2017 (Foto: Arquivo ACritica) 

“O Vadão  é um grande amigo meu no futebol e um grande amigo particular. Ele   foi meu treinador no Bahia”, disse o técnico do Penarol revelando que ainda não trocou ideias com o parceiro de profissão. “Ainda não tive a oportunidade de conversar com ele devido às viagens e de outras situações. Mas tenho certeza que logo, logo a gente vai trocar umas ideias”.

Evolução das Leoas

Com menos de dois meses à frente da equipe feminina do Penarol, Igor Cearense entende que suas comandadas evoluíram bastante e chegam forte na luta pela vaga na grande final do Amazonense Feminino.

“Vi que o time evoluiu foi justamente na obediência tática. Percebi que elas já conseguem fazer jogadas automáticas, inversões de jogadas e demais situações de jogo. Isso elas assimilaram muito rápido. Essa parte delas cresceu muito no decorrer da competição, dentro dos treinamentos e a forma de a gente jogar”, avaliou o técnico.

Campeão em todas as categorias de base, Igor Cearense é auxiliar-técnico no Manaus FC e revelou ainda não ter avaliado seu  futuro. Vale lembrar que, caso o Penarol chegue à decisão do Barezão assegura  vaga numa pré-disputa da Série B do Brasileirão Feminino em 2018.

“A ficha ainda não caiu. Ainda não parei pra analisar isso. Sou funcionário do Manaus e fui liberado pra essa competição, mas ainda não parei pra pensar no futuro. Estou vivendo o momento e cada momento da minha vida gosto de ganhar,  de buscar títulos, alcançar objetivos e hoje o meu maior foco é no futebol feminino do Penarol”, comentou o ex-jogador que encecerrou a carreira no Leão da Velha Serpa.

Campeão por Flamengo,  Fortaleza e Coritiba, onde disputou até a Libertadores, Igor Cearense  rodou o Brasil jogando futebol, mas foi em Itacoatiara encontrou seu porto seguro.

“Amo a cidade de Itacoatiara do fundo do coração. A cidade abraçou esse projeto tanto que hoje temos uma estrutura considerada tão boa quanto a do futebol masculino”, pontuou o treinador fazendo questão de agradecer o apoio da família.

 “No início é tudo novo, minha filha perguntava: ‘Papai, será que o senhor está pronto pra assumir essa situação nova na sua vida? Mas estamos aqui pra te apoiar e acreditamos que você pode fazer um bom trabalho’. Por isso digo que a família é tudo na nossa vida. Tenho o apoio deles, dos meus pais e irmãos, e da cidade de Itacoatiara”, concluiu. 
 

Publicidade
Publicidade