Publicidade
Esportes
Craque

Defesa do lutador Anderson Silva afirma que ‘viagra contaminado’ foi responsável por doping

Remédios para ansiedade e contaminação em suplemento para melhorar desempenho sexual teriam causado resultados positivos no exame de antidoping antes e após a luta contra Nick Diaz, em janeiro 12/08/2015 às 16:05
Show 1
O lutador foi pego no exame antidoping no UFC 173, que marcava sua volta aos octógonos
ACRITICA.COM Manuas(AM)

A defesa de Anderson Silva, enviou um documento com que responde à queixa de exames positivos para substâncias proibidas antes e depois da luta contra Nick Diaz, no dia 31 de Janeiro.  No documento, a defesa alega que Spider não ingeriu as substâncias de forma consciente e que elas apareceram nos exames do lutador por conta de medicamentos para ansiedade e contaminação de um suplemento papra melhora de desempenho sexual.

O documento foi enviado dois dias antes da primeira audiência frente à Comissão Atlética de Nevada. No documento, que foi obtido pelo site Combate.com,  a equipe de Spider nega o uso consciente das substâncias drostanolona e androsterona, mas que o ex-campeão dos meio médios ingeriu  ansiolíticos (remédios contra ansiedade) antes da luta para controlar insônia. Sobre as demais substâncias detectadas nos exames, a explicação é que um suplemento utilizado pelo lutador para melhorar o desempenho sexual estaria contaminado.

Na ocasião do UFC 183, em Las vegas, o adversário de Anderson, Nick Diaz, também foi pego no exame antidoping, mas por uso de maconha. Com isso, a luta foi considerada sem resultado.

Anderson Silva foi flagrado por uso de drostanolona e androsterona  - dois esteroides anabolizantes -no dia 9 de janeiro, durante um teste antidoping surpresa, mas o resultado só foi divulgado dois dias depois do UFC 183, que aconteceu em 31 de janeiro de 2015. Um segundo exame, feito no dia 19 de janeiro, deu negativo para todas as substâncias proibidas. Exame do dia 31 de janeiro, no entanto, apontou nova presença de drostanolona, além dos ansiolíticos temazepam e oxazepam, usados no combate à ansiedade. O documento foi divulgado no dia 18 de feveriro e servirá como base para o julgamento.

Publicidade
Publicidade