Publicidade
Esportes
Craque

Delegacia do 'bebum': Catar pode criar tribunais para lidar com bêbados durante Mundial de 2022

Autoridades do país muçulmano, que proíbe a ingestão de bebiba alcoólica, estuda a criação de pequenos juizados para o controle de pessoas que forem flagradas bêbadas em público  08/02/2016 às 14:26
Show 1
Catar estuda criação de tribunais para bêbados durante a Copa.
Reuters Doha (Catar)

O Catar poderá criar tribunais especiais durante a Copa do Mundo de 2022 para lidar rápida e "muito gentilmente" com fãs que desrespeitarem a proibição de beber álcool em um país muçulmano conservador onde estar bêbado em público é proibido, disse uma autoridade do país nesta segunda-feira (8).

Autoridades do Catar disseram que os 500 mil torcedores que são esperados no país durante a Copa serão autorizados a beber em zonas predeterminadas, mas a maneira como os valores culturais do país serão conciliados com as exigências da Fifa ainda é tema de debates.

"Eu sei que na África do Sul havia tribunais específicos durante a Copa do Mundo para este tipo de coisa e isso é algo que estamos discutindo com a Fifa", disse o chefe do Comitê 2022 do Catar, Hassan Al Thawadi, a jornalistas em um evento em Doha.

Durante a Copa de 2010, a África do Sul criou 56 juizados especiais para acelerar o julgamento de casos envolvendo torcedores estrangeiros, para que as situações pudessem ser resolvidas antes que suspeitos ou testemunhas saíssem do país.

Embora não tão rígido como os vizinhos Arábia Saudita e Kweit, o Catar permite que álcool seja servido apenas em hotéis de luxo.

"Em relação aos torcedores bêbados, será como em qualquer outro lugar, em que alguém que fizer baderna, alguém que desrespeitar a lei, será gentilmente -dependendo de como reagir - abordado de uma maneira que faça com que a pessoa não perturbe a ordem pública", disse Thawadi. "Todo mundo poderá se divertir e conhecer a cultura do Catar."

A Fifa já disse que irá defender os direitos comerciais de seus patrocinadores, inclusive a cervejaria Anheuser-Busch InBev.

No Brasil, em 2014, a venda de bebidas alcoólicas foi inicialmente proibida, mas acabou sendo relaxada por pressão da Fifa.





Publicidade
Publicidade