Publicidade
Esportes
Movimentação fora de campo

Demissões e contratações de técnicos: Rio Negro e Fast com novos comandantes

Demitido do Fast, Cavalo assume o Rio Negro, que mandou Alemão embora depois do Galo sair do G-4. Donmarques Mendonça assume o Rolo 04/05/2017 às 09:52
Show cavalo
Cavalo: de demitido do Fast a contratado pelo Rio Negro (Foto: Evandro Seixas)
Camila Leonel Manaus (AM)

A quarta-feira (4) não foi fácil para os técnicos dos times do Barezão. Dois deles foram desligados durante o dia: primeiro João Carlos Cavalo foi demitido do Fast e à noite, Alemão foi desligado do Rio Negro.

Alemão foi demitido do Galo com menos de um mês de trabalho. Ele treinou o time em oito jogos. Foram três vitórias, um empate e quatro derrotas. Ironicamente, o desligamento aconteceu na semana do Rio-Nal, sendo que foi exatamente contra o Naça que Alemão estreou no primeiro turno. Quando Alemão assumiu o Rio Negro, o time Barriga Preta estava na 3ª posição e dentro do G4 do Barezão. Menos de 30 dias depois, o Galo ocupa a 5ª colocação e hoje estaria fora das semifinais do Estadual.

“Entramos em um consenso e decidimos pelo desligamento do treinador de forma amigável, inteligente e madura. Nós entendemos o trabalho dele e com o fato do Rio Negro ter sido campeão do primeiro turno, nós entendemos que futebol se faz de resultados”, disse William Abreu, diretor do Galo da Praça da Saudade.

Já no Fast, o desligamento de Cavalo não foi tão amigável assim. O treinador que comandou o time por dois anos e levou o time à conquista do Campeonato Amazonense de 2016, quebrando um jejum de 45 anos, disparou contra a diretoria do clube. “Já faz algum tempo que o ambiente estava muito ruim e com salário há dois meses atrasados. Além de não sair o pagamento, chega o Donmarques querendo por ingerência no trabalho. O que aconteceu fui que tive uma discussão séria com ele e quase fomos as vias de fato”, disse o treinador afirmando que o seu trabalho foi esquecido. “Acontece que meu trabalho lá foi esquecido por uma pessoa que não entende nada de futebol. Quando estávamos só eu, dona Nádia, Rodrigo (Novaes, diretor de futebol) e o Nobre (Cláudio, dirigente) as coisas estavam acontecendo. Agora ele acha que entende muito de futebol e que as coisas tem de ser da maneira dele”.

Com a saída de Cavalo, Donmarques assume interinamente o time juntamente com Ney Júnior. “Estamos analisando o que é melhor para o Fast”, declarou.

Casa Nova

Se pela manhã João Carlos Cavalo ficou sem clube, à noite, ele já confirmava que treinaria outro time do Barezão. O técnico aceitou a proposta do Rio Negro e se apresenta pela manhã no clube.

“É um prazer voltar ao clube que me revelou tanto como atleta e também como treinador. Tenho uma história bonita dentro do clube e o carinho da torcida. Vou procurar fazer meu melhor”, declarou.

Esta é a terceira vez que o Rio Negro troca de técnico no Campeonato Amazonense. O Galo começou a competição sob o comando de Aderbal Lana. Demitiu o experiente treinador na sexta rodada e no dia seguinte anunciou Alemão, que já deu lugar a João Carlos Cavalo.

Aliás, a dança das cadeiras tem sido agitada no Estadual deste ano. Até agora, seis treinadores já foram desligados de seus cargos. O líder de desligamentos é o Rio Negro, com três técnicos seguido do São Raimundo, com dois. O técnico que mais “rodou” pelos times é Aderbal Lana, que passou por três clubes em 2017.

Seis treinadores já ‘dançaram’ no Campeonato. Primeiro foi o técnico do Penarol, Humberto Santos, demitido na quinta rodada do Barezão. Deu lugar a Rui Aparício, seu auxiliar. Depois o Rio Negro demitiu Lana, que já havia desistido do Nacional após comandar o time em um jogo da Copa Verde. O São Raimundo também trocou de técnico: Lúcio por Eduardo Clara, que não é bem um técnico do São Raimundo atualmente. Virou mentor de Delmo, que comanda o time há três jogos. No Manaus, Lana assumiu, Igor Cearense, que estava no time há mais de um ano virou auxiliar do novato.

Os únicos times que permanecem com o mesmo técnico desde a primeira rodada são: Nacional, com Arthur Bernardes, Holanda, com Sidney Bento e Princesa, comandado por Alberone.

Publicidade
Publicidade