Publicidade
Esportes
Craque

Depois de 94 jogos, torcida vai conhecer o campeão amazonense de 2015, o primeiro da Arena

A primeira partida dos 180 minutos, a primeira de uma decisão de Estadual na Arena da Amazônia, vai servir de tira-teima, neste sábado (13), às 15h 12/06/2015 às 22:58
Show 1
Inédito: Estádio da Copa do Mundo recebe a primeira final de Estadual
Anderson Silva e Felipe de Paula Manaus (AM)

“Roemos o osso, agora é a hora do filé”. As palavras do experiente goleiro do Nacional, Rodrigo Ramos, reflete bem o momento que os jogadores de Princesa e Nacional estão passando para a primeira partida da final do Campeonato Amazonense, neste sábado (13), às 15h, na Arena da Amazônia.

Foram 94 jogos no Estadual até os dois times, merecidamente, chegaram ao “grand finale”.

A primeira partida dos 180 minutos, a primeira de uma decisão de Estadual na Arena da Amazônia, vai servir de tira-teima. Nacional e Princesa possuem um título cada, nos dois últimos anos, mas o time da capital leva vantagem por ter conquistado o Estadual de 1995 em cima do rival.

Para o treinador Aderbal Lana, que fechou os treinos durante a semana, a partida será disputada no campo, sem problemas “externos”.

“Conversamos com todos os jogadores e vamos jogar futebol. Acreditamos que não vai acontecer nada de mais, não. O Princesa já passou por alguns problemas e as cabeças já estão no lugar e se continuar a confusão vamos afastar os torcedores. Vai ser um jogo leal”, acredita o técnico, lembrando dos problemas ocorridos nas últimas partidas.

O experiente goleiro Rodrigo Ramos comemorou o fato de estar na vigésima final da carreira. “Temos a defesa menos vazada da competição. Chego a minha 20ª final disputada.  E jogar na Arena só temos a ganhar”, declarou.

Contra o Princesa, o Nacional não terá o lateral João Rodrigo com suspeita de dengue, Hyantony com uma lesão no joelho e Leonardo ainda no departamento médico.

A todo vapor

O Princesa não tem desfalques para a partida. No entanto, a formação do elenco do Tubarão foi mantida a sete chaves pelo treinador. Um dos destaques do Princesa é o meia-atacante Leo Paraíba, campeão pelo Nacional no ano passado, tendo feito dois dos cinco gols do Leão   justamente sobre o time de Manacapuru.

“Tenho muitos amigos no Nacional e muito carinho pela torcida, mas sou profissional e vou honrar a camisa do Princesa do Solimões, disse ele, um dos destaques da vitória sobre o Fast que rendeu a vaga na final. “Gosto de jogar esses jogos decisivos”, finaliza.

Naça tira onde no Twitter

O microblog oficial do Nacional “tirou onda” com o fato do treinador do Princesa Zé Marco realizar o último treino com portões fechados. A atitude de fechar os portões teve início com o Leão que apenas na segunda-feira e no treino recreativo na tarde de ontem abriu os portões, e nos demais dias não permitiu a presença de torcedores e imprensa. O termo #estou#Perpectlo utilizado no Twitter não agradou alguns torcedores do time do interior.

Para os jogadores do Tubarão, a postagem não gerou nenhum “desconforto”.

“Estou por fora. Não vi e não fiquei sabendo”, disse o volante Delciney, que é um dos remanescentes do título de 2013.

O atacante Léo Paraíba que é uma das “armas” do Tubarão para o jogo de hoje não se sentiu incomodado com a postagem na rede social do ex-clube, a qual foi campeão na temporada passada em cima do atual clube.

Na opinião do atacante, o Nacional é que está escondendo o jogo. “Acho que não tem que se esconder nada. Eles também treinaram com os portões fechados. Eles não treinaram!? A gente treinou normal. Se tem o que esconder, quem está escondendo são eles”, disse o jogador sem entrar em polêmicas.

Publicidade
Publicidade