Publicidade
Esportes
OLHO NO GAVIÃO

Depois de bater o São Raimundo-PA, Fast mira ‘decisão’ com Manaus FC

Vitória de virada sobre o Pantera Negra, no Brasileirão Série D, serve de incentivo para o Tricolor buscar nova virada, agora no Barezão 30/05/2017 às 12:01 - Atualizado em 30/05/2017 às 12:13
Show far
Elenco do Rolão no limite pela vaga na final do estadual (Foto: Denir Simplício)
Denir Simplício Manaus (AM)

A vitória de virada sobre o São Raimundo-PA, no último domingo (28), pelo Brasileirão da Série D, deu mais que a liderança do Grupo 2 ao Tricolor de Aço. O triunfo sobre o Pantera Negra deu motivação ao elenco fastiano para uma nova virada, dessa vez sobre o Gavião do Norte, pelas semifinais do Barezão 2017.

Poupado do duelo com os paraenses, o lateral André Luiz teve de entrar no jogo ainda no primeiro tempo, após lesão de Tiago Félix. O camisa 6 do Rolo Compressor sabe muito bem o valor do triunfo sobre o São Raimundo para o confronto com o Manaus FC, na quinta-feira (1º), na Arena da Amazônia.

“Confesso que nem estava pensando nesse jogo de quinta-feira. Mas lógico que se nós perdêssemos o jogo (contra o São Raimundo-PA) a gente já ia cabisbaixo. Não tinha jeito. Partindo desse princípio, é lógico que uma vitória nos dá um ânimo maior, uma confiança maior”, pontuou André Luiz.

Em busca de gols

A vitória por 3 a 2 sobre o São Raimundo-PA também serviu para dar moral ao ataque do Tricolor. Isso porque o Fast precisa vencer o Manaus FC por no mínimo dois gols de diferença se quiser decidir o Estadual mais uma vez.

André Luiz comentou que o triunfo sobre o Pantera Negra também deu confiança à equipe que busca reverter a vantagem do Gavião do Norte.


Destaque na vitória sobre o Pantera, Peninha não joga o Barezão (Foto: Márcio Silva)

“Foi importante esse placar até porque nós conseguimos uma virada com mais de dois gols, que é o que nós precisamos - no mínimo dois gols contra a equipe do Manaus. Ficou provado que contra uma equipe de outro estado nós conseguimos três gols, lógico que tomamos dois, e isso nos dá a confiança pra que nós possamos fazer na quinta-feira também um placar que seja favorável ao Fast”, explicou.

Hora da superação

André Luiz, que esteve em campo nos últimos quatro jogos do Tricolor, tanto na Série D, como no Estadual, sabe que o momento é de superar os próprios limites para alcançar os objetivos.

“Infelizmente o Tiago (Félix) sentiu logo no 1º tempo e tive de entrar. Teve um pouco de desgaste, mas agora não tem isso. Mesmo desgastado a gente vai ter de ir no nosso limite e fazer o que puder pra conseguir essa vaga, porque é importante pro Fast pra que tenha calendário ano que vem. Pra que tenha Copa do Brasil, Copa Verde e que tenha todas as outras competições e a vaga na Série D também”, afirmou o jogador de 31 anos assumindo o discurso da superação. “Agora não tem essa de cansaço. Lógico que não somos máquinas. Vamos sentir algum cansaço mas temos de superar isso tudo se quisermos alcançar nossos objetivos”, concluiu o jogador.

Sem poder contar com cerca de 80% da equipe que bateu o São Raimundo-PA no domingo, por não estarem inscritos no Barezão, o técnico Donmarques terá de se virar para vencer o Manaus por dois gols de diferença se quiser avançar às semis do Barezão. Empate ou vitória por apenas um gol e a vaga fica com o Gavião, de Aderbal Lana.

Publicidade
Publicidade