Publicidade
Esportes
Craque

Determinação desde pequenas meninas dão show de bola

Garotas entre 6 e 12 anos mostram habilidade em projeto social desenvolvido na Chapada 14/07/2013 às 16:35
Show 1
Em quadra Garota do projeto de futsal da Chapada exibe embaixadinhas
Lorenna Serrão Manaus (AM)

Elas têm entre seis e 12 anos, moram em bairros diferentes e tem em comum a paixão e o talento pelo futsal. Algumas conheceram a modalidade há alguns meses, outras já nem lembram como e quando começaram a praticar. Meninas que antes não tinham uma programação especifica para o fim de semana e que agora contam as horas para que o sábado chegue logo, só para terem o prazer de entrar em quadra e mostrar, que apesar da pouca idade, já dão um show de dribles e até de jogadas ensaiadas.

Elas fazem parte da Escolinha de Futsal da Chapada, um projeto gratuito coordenado pelas amigas Ronélia Viana e Giovana Andrade, que há um ano resolveram unir as ideias e convidaram algumas crianças do bairro da Zona Centro-Sul de Manaus para praticar o esporte.

Determinadas, as coordenadoras apresentaram um projeto para o presidente do conselho comunitário da Chapada e pediram autorização para realizar as atividades na quadra do bairro, que até então era pouco utilizada pelos moradores. Com aprovação imediata elas trataram de organizar o evento de “inauguração” e chegaram a ir na casa de algumas meninas e convidá-las para fazer parte da escolinha.

“A Ronélia é formada em Educação Física, é técnica da equipe feminina Salcomp e jogou futsal por muitos anos. Ela sempre quis montar um projeto e eu resolvi apoiar. Com ajuda de alguns amigos nós conseguimos comprar o uniforme e com a autorização da comunidade conseguimos tornar real o sonho de ensinar futsal a essas crianças“, contou Giovana Andrade. Mas inserir a pratica esportiva na vida das alunas não é o principal objetivo da Escolinha de Futsal: a ideia é fazer com que os pais acompanhem as meninas, aumentando assim o vínculo efetivo entre as famílias.

“Nosso principal critério é a participação dos pais, é fazer com que eles acompanhem as meninas. Até porque elas são pequenas e sem eles não tem como comparecer às aulas e na presença deles elas se sentem mais confortáveis”, comentou Giovana - que já percebe as mudanças que o esporte causou na vida de algumas crianças do projeto. “Algumas meninas dizem que o dia mais feliz da semana é o sábado, quando elas estão jogando, brincando de futsal. Isso é muito importante, pois é o que nós queremos: que elas fiquem felizes e que a cada dia gostem cada vez mais de praticar esporte”, pontuou.

Brincadeira vira ‘séria’ nas quadras

Na semana passada as meninas da Escolinha da Chapada participaram de um Festival de Futsal, onde enfrentaram as atletas do Sesi. E apesar de Ronélia e Giovana afirmarem que o evento seria mais uma brincadeira, as atletas entraram em quadra e provaram que, para elas, a brincadeira era séria.

Mais experiente, o time do Sesi entrou em quadra sendo considerado o grande favorito, mas não demorou muito para a equipe da Chapada mostrar que elas já aprenderam muita coisa, após um ano de projeto. Com grandes ataques, cobranças de faltas ensaiadas e muito incentivo da torcida, o jogo empatou em 4 a 4 e o resultado agradou as atletas-mirins, que foram assistidas pela equipe feminina do Salcomp, inspiração para elas.

Alice Gabrielly, de 12 anos, marcou dois gols para a equipe da Chapada e saiu de quadra com sorrisão no rosto. “Eu sempre gostei de brincar de bola, antes eu jogava na rua com os meninos mesmo, mas agora só pratico aqui na Escolinha. Eu gosto muito e fiquei muito feliz por ter feito dois gols”, comentou a menina que sonha em ser veterinária ou jogadora profissional.

A mãe Maevia Vasconcelos também está bem satisfeita com a empolgação da filha. “Fiquei sabendo do projeto através de amigos e estou gostando muito. Todos os sábados eu venho com ela, acho importante acompanhá-la”, finalizou a autonoma, que mora na Compensa, bairro da Zona Oeste.

Publicidade
Publicidade