Publicidade
Esportes
Craque

Devidamente uniformizados. Projeto Formando atletas recebe doação de quimonos

O projeto que funciona no 1° Batalhão de Choque da Polícia Militar, Zona Norte de Manaus, tem cerca de 50 alunos com aulas três vezes por semana 02/09/2015 às 17:46
Show 1
As crianças do projeto Formando Atletas agora poderão aprender judô devidamente uniformizados
Camila Leonel Manaus (AM)

“Foi uma surpresa quando eu cheguei aqui na sexta-feira e o Comandante do Batalhão me falou que tinha uma surpresa para gente. Ele me falou que esse cidadão se comprometeu a doar os quimonos para os nossos alunos”. Foi dessa forma que o policial militar Nilton Ferreira, conhecido como sensei Bala, conta da surpresa de receber 20 quimonos e uniformes de capoeira para outro projeto de jiu-jitsu e capoeira, que também funciona no Batalhão, mas no turno da manhã. As doações chegaram após o projeto Formando Atletas ser mostrado no CRAQUE, na quinta-feira (27) da semana passada.

O doador dos  20 quimonos e uniformes para a prática de capoeira se chama Marcelino e é da empresa Brasil Turim e além dos uniformes, o empresário ofereceu apoio aos atletas do projeto quando participarem de competições.

 O sensei Bala, que toca o projeto há cinco anos e atende mais de 50 alunos, disse que ficou emocionado com a possibilidade de ver seus alunos uniformizados. “É muito gratificante. Eu fico até um pouco emocionado em ver essas crianças aqui. Nós temos hoje aqui 40 alunos,  nesse calorão essas crianças estão derretendo aqui (risos). E é bacana ver essas crianças recebendo esses uniformes doados por esse cidadão, o Marcelino”, declarou.

Uma das alunas do projeto, Ana Beatriz, 13, começou as aulas há dois meses e meio por indicação da cunhada da irmã dela e disse que, com o quimono, a motivação para a prática do judô vai só aumentar. “Com certeza vai ser melhor treinar com o quimono e dá uma motivação a mais”, disse.

Uma ajuda, vários beneficiados

Além de ajudar o projeto de judô, que funciona três vezes por semana, outro projeto que também funciona no Batalhão, mas que ensina jiu jitsu e capoeira recebeu uniformes.O sargento C Batista dá aulas há seis anos e explicou que a doação também ajuda a melhorar o projeto.

 “Às vezes a gente colaborava para comprar o quimono pra um ou pra outro o problema é que as pessoas aqui da área são um pouco carente ai a gente deixa treinar sem quimono mesmo, mas com essa força que o  empresário Marcelino nos deu vai melhorar bastante”, contou.


Publicidade
Publicidade