Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019
AMOR DE PAI E FILHO

Dia dos pais: Valter Dantas e João Pedro, pai e filho unidos pela vida e pelo esporte.

Valter Dantas e João Pedro, pai e filho unidos pela vida e pelo esporte. Confira essa história emocionante no Dia dos Pais



WhatsApp_Image_2017-08-10_at_17.26.22.jpeg Pai e filho participam das corridas de rua juntos, com muito amor pelo esporte e pelos desafios. (Foto: divulgação)
14/08/2017 às 09:24

“Não há nada que não se consiga com a força de vontade, a bondade e, principalmente, com o amor”. A frase de Cícero, orador romano, resume a vida de Valter Dantas e seu filho João Pedro, 11. Neste Dia dos Pais, vamos conhecer a história deles, que dão show de companheirismo, encarando desafios no esporte juntos, e mostrando que nenhuma dificuldade é capaz de fazê-los parar. 


João é cadeirante, adora participar das corridas e, com ele, sempre está o seu fiel escudeiro pai. “Correr é importante para mim e para o meu pai, e eu estou fazendo um favor para a minha mãe, porque ela não gosta de correr (risos), damos o bom exemplo”, brinca João. Participar das corridas é mesmo fundamental para João Pedro, que nasceu com artrogripose nos membros inferiores, tem pé torto congênito e luxação no quadril. Por tudo isso, ele usa cadeira de rodas e, com o apoio dela, tornou-se atleta, junto com o pai.



“Eu não corria, só jogava futebol com os amigos, e a corrida veio porque meu filho fazia basquete em cadeira de rodas pelo Proamde (Programa de Atividades Motoras para Deficientes), e um coleguinha dele disse que ia participar de uma corrida, e convidou meu filho. Isso foi quatro anos atrás, quando ele tinha sete anos. Eu saí da zona de conforto para acompanhá-lo, numa vida de atividade constante, com corrida todo final de semana”, explica Valter.


Do início da jornada de pai e filho nas corridas de rua até agora, eles passaram juntos por competições mais fáceis e mais difíceis. “A mais difícil foi uma corrida de 10km na Ponte Rio Negro, debaixo de muita chuva. Estávamos molhados eu e ele, e eu com o tênis encharcado, encarando subidas e descidas”, relembra. Mas, além das corridas no asfalto, os dois também gostam de corridas em terrenos desafiadores. “Participamos de uma corrida dentro do Cirmann, com 10km, e foi muito puxado”, relembra Valter.


Sempre em dupla nas corridas, pai e filho têm a admiração dos amigos, mas os dois são os que mais gostam dessa parceria. “Eu gosto de correr com o meu pai porque ele é muito rápido, e eu ajudo, sempre quero ganhar”, disse João. 


“Sempre fomos muito próximos porque meu filho sempre quer fazer tudo sozinho, mas eu e minha esposa temos o receio de deixá-lo só, então gosto de estar sempre perto, e sempre que ele precisar, pode contar comigo, assim como eu posso contar com ele também”, afirma Valter, que não deixa mais ninguém correr com seu filho. “Às vezes me pedem, dizendo: - deixa que eu levo ele!  Mas deixa que eu mesmo levo porque eu conheço a cadeira, o que tem que levantar, baixar, porque infelizmente já aconteceu um acidente numa prova, nada grave, mas temos que tomar cuidado”, afirma.


Sobre o futuro, João Pedro prefere fazer acontecer a ficar pensando nisso, enquanto o seu pai só quer continuar correndo com o filho “e, se Deus quiser, conseguir algum patrocínio para que ele possa competir fora de Manaus também”, afirma. 

A luta de João e a corrida em família

Por causa da artrogriprose, João Pedro precisou passar por 10 cirurgias, ao todo, desde que nasceu. Ele tem os movimentos das pernas, mas não força suficiente para andar, por isso, usa cadeira de rodas. “A última cirurgia que ele fez foi de ligamento de tendão, e levou 33 pontos em cada perna. Além disso, ele tem uma placa no quadril, com três pinos, que precisa ser trocada de tempos em tempos, e o que falta para ele andar é fazer fisioterapia constante; coisa não é tão fácil pela falta de profissionais nos planos de saúde”, explica seu pai, Valter.

Mas, apesar das dificuldades que João precisa enfrentar, o esporte faz parte do cotidiano da família toda. Além de João Pedro, Valter tem uma filha, Ana Flávia, 8, que também participa de corridas para crianças. “Procuro incentivar os dois a participarem. Semana passada, eles estavam numa corrida de obstáculos para crianças. O João sofreu bastante porque era na areia, mas para ele foi ótimo, foi até o final, se arrastando, mas conseguiu”, afirma o pai das crianças. Nessa corrida, João foi sozinho, correndo com a ajuda dos braços, e saltando rapidamente pelos obstáculos. 

 Valter acredita que o esporte faz parte da educação de seus filhos, e eles gostam das corridas desafiadoras e diferentes. “Minha corrida preferida foi a Pan night Run de Halloween, porque podíamos ir fantasiados, e eu queria correr lá no cemitério”, disse o corajoso João Pedro, que nesse dia, correu fantasiado de Hulk.


Para agradecer a dedicação do seu paizão, neste domingo, João quer impressioná-lo. “Para o dia dos pais, eu estou fazendo uma carta para ele, e não vou dizer nada ainda, porque queria fazer uma surpresa”, afirma. Feliz dia dos pais a todos! 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.