Publicidade
Esportes
Fla-Flu

Memórias de um Fla-Flu inesquecivel no dia 25 de junho de 1995

As duas equipes fazem o primeiro jogo da final para decidir o campeão Carioca de 2017. Há 22 anos, os dois times também decidiram uma final que se tornou um dos Fla-Flus mais emblemáticos 30/04/2017 às 16:39 - Atualizado em 06/05/2017 às 13:04
Show zcr0230 01f
Renato entrou para história do Fluminense (Foto: Divulgação)
Camila Leonel Manaus (AM)

Onde você estava no dia 25 de junho de 1995? Onde estava quando o tricolor abriu o placar, fez 2 a 0, viu o Flamengo empatar, mas reagiu com o antológio gol de barriga de Renato Gaúcho, que calava um Maracanã quer tinha seu lado rubro-negro gritando é campeão? Uma das testemunhas do jogo que decidiu o Campeonato Carioca daquele ano é o jornalista André Viana.

Carioca e tricolor, o jonalista já morou em Manaus e naquele dia era um dos 120,4 mil presentes e ainda guarda de recordação o ingresso daquele jogo. Uma recordação física da inesquecível partida.

 “Sinto-me um privilegiado. É o tipo da partida que transcende a esfera esportiva. A maioria dos Fla-Flus é assim. Todos os clássicos brasileiros têm sua magia, mas nenhum deles chega perto do Fla-Flu. Um jogo decidido da forma inusitada que foi, por tudo que significava, tem seu lugar na eternidade”, disse Viana, que é tricolor.

O enredo do jogo por si só já daria um livro, mas Viana foi além das lembranças daquele jogo e resolveu buscar lembranças de outras pessoas que estavam dentro e fora de campo naquele dia. Foi assim que nasceu a obra “Onde você estava naquele inesquecível gol de barriga?”.

“Todo mundo já reviu o gol de barriga do Renato. A as circunstâncias daquele jogo épico. Aquele jogo merecia um livro com enfoque nos torcedores. Fui buscar a história dos personagens que estavam, ou não, presentes no Maracanã”.

Um jogo épico

O Flamengo estava em seu centenário e contratou grandes jogadores como Romário e Branco. Era favorito ao título do Carioca. Do outro lado estava o modesto Fluminense, que precisava vencer para vencer a partida.

E no primeiro tempo só deu Fluminense. A superioridade resultou em dois gols: um de Renato Gaúcho, aos 30 minutos, e um de Leonardo.

Os tricolores já comemoravam, mas no segundo tempo o Flamengo empatou o jogo com Romário e Fabinho. O título passava para as mãos do rubro-negro. Só que eles não contavam que o chute desengonçado de Ailton encontraria a barriga de Renato Gaúcho para decretar a conquista tricolor. “Tenho 44 anos, ou seja, eu tinha 22 anos no gol de barriga, e na primeira metade da minha vida assisti quatro Fla-Flus decisivos. Destas, comemorei três (83,84 e 95) e lamentei uma (91).”, declara André que viu outros clássicos entre rubro-negros e tricolores, mas que tem como jogo especial aquela final.

“Tricolores e rubro-negros não esquecem Fla-Flus. E o Fla-Flu do gol de Barriga é imune até ao Alzheimer. Ele não é somente o meu Fla-Flu inesquecível, é meu jogo inesquecível”.

Hoje as duas equipes entram em campo para escrever um capítulo do clássico mais de 20 anos depois daquela  final. Os tempos são outros, os plantéis também, mas a aura de um dos clássicos mais charmosos do Brasil permanece.

Publicidade
Publicidade