Publicidade
Esportes
Série D

Ausência de preparador de goleiros faz arqueiros do Tubarão se unirem para manter a forma

Sem treinador de goleiros, Rasci, Luiz Paulo e Victor se viram como podem para manter a forma e, trocando experiências entre si, se preparam para encarar o Gurupi, neste domingo 09/07/2017 às 11:36
Show spo es5940
(Foto: Evandro Seixas)
Camila Leonel Manaus (AM)

Em uma partida de futebol, a experiência de um goleiro é testada nos momentos que a equipe é mais pressionada. Mas no caso do Princesa do Solimões, os goleiros estão precisando usar a sua experiência antes mesmo do apito inicial. Sem preparador de goleiros, Ronaldo Rodrigues, que foi dispensado após o jogo contra o Fast, válido pelo 3° lugar do Barezão, Rascifran, Luiz Paulo e Victor precisam usar toda a experiência que têm durante a preparação que antecedem os jogos.

Rasci é profissional desde 2004, Luiz Paulo começou a defender em 2007. O caçula da turma é Victor, que se profissionalizou em 2013. Juntando as três carreiras, dá 27 anos de experiências compartilhadas entre os arqueiros. “Experiência a gente consegue no decorrer dos jogos. A gente vai vendo os trabalhos e tentando buscar se aperfeiçoar. A gente espera fazer grandes jogos e ajudar o Princesa”, disse Luiz Paulo, segundo goleiro, que chegou a ser titular em cinco jogos do Barezão no lugar de Rasci, contundido.

Apesar da “rodagem” dos três arqueiros, Rasci reconhece que ficar sem preparador não é fácil. “A gente está tentando superar isso porque sabemos que é difícil ficar sem preparador de goleiro, mas estamos tentando fazer de uma forma que não deixe cair o nosso trabalho porque é difícil de trabalhar, mas o nosso time está se portando bem em relação a isso, e vamos dar a volta por cima, estamos ajudando um ao outro aqui”, comentou o goleiro.

Desde que ficou sem preparador, o Princesa entrou em campo duas vezes pela Série D -nas vitórias do Tubarão sobre o Atlético Acriano e Real Ariquemes - e não levou gols.

Para não deixar o nível cair, os goleiros admitem que a cobrança entre eles existe, mas além da cobrança, também há muita união.

“A gente treina unidos e está sendo difícil, mas um cobra o outro e é um ajudando o outro. Outro dia eu falei para o Rasci ‘vamos se fechar, vamos manter o foco’, porque com preparador de goleiros já é difícil imagina sem”, revelou Luiz Paulo que garante que os três estão preparados caso precise entrar no jogo.

“O Rasci vem fazendo belas partidas e independente de ser eu ou o Victor que vá entrar, a gente têm certeza que vamos dar conta do recado trabalhando firme e forte. Sabemos das dificuldades e temos que trabalhar, mas Deus tá vendo nossos esforços e nos abençoando”, completou.

Victor, que é o goleiro mais novo, fala do aprendizado diário com os veteranos e também destaca a ajuda mútua.

“Acho que todo dia é dia de aprendizado com eles dois, que são monstros da história no Amazonas. Tenho muita coisa para aprender com eles. Cada dia é um aprendizado novo e a gente vem se ajudando e se respeitando. Temos companheirismo, aqui não tem trairagem. Nós três estamos fechados para trabalhar firme e forte o resultado aparece automaticamente”, declarou.

Corte de gastos

Com o corte de gastos no Princesa, que conta com um orçamento baixo em relação aos anos anteriores, o presidente Modesto Alexandre optou por dispensar o preparador Ronaldo Rodrigues e justificou que ou demitia um dos goleiros, ou dispensava o preparador. Para a escolha, pesou o fator casa.

“A questão do Ronaldo foi financeira. Falta um mês e tenho três goleiros. Ou eu dispensava o goleiro e ficava com ele, ou dispensava o Victor e ficava com ele. Pra eu deixar o Victor desempregado, eu prefiro deixar o Ronaldo porque ele não é daqui, é de Belém. Preciso valorizar quem é daqui e o meu lema é valorizar o daqui”, declarou o presidente, que acredita em uma preparação para que surja futuros preparadores amazonenses, “Eu tenho que começar a trabalhar alguém de Manacapuru, não posso me dar um luxo de buscar alguém de fora porque aqui não tem. Nosso futebol tem mais de 100 anos não dá pra investir? Eu tenho que buscar de fora?”,  justificou.

Preparados para a batalha de Manacá

O Princesa do Solimões teve duas semanas de preparação para o jogo contra o Gurupi. O que significou muito treino. Durante a preparação, o time realizou um jogo-treino contra a seleção de Manacapuru e venceu por 4 a 0. Tanta dedicação e estudo do adversário é, para o lateral Getúlio, que jogou a Série D pelo Tubarão no ano passado, uma forma de evitar que os erros que levaram à eliminação, se repitam. “Infelizmente no ano passado perdemos pro Atlético  por falhas bobas esse ano é totalmente diferente. Quem vence é quem geralmente erra menos. Vamos procurar errar pouco e aproveitar as oportunidades”, disse o jogador.

Uma novidade para a partida é a volta de Branco, que cumpriu suspensão no jogo contra o Real. “Como não joguei o último jogo, tive um tempo para descansar e tive mais tempo para se preparar e, para mim, serviu para aprimorar as finalizações”, disse o atacante que garante que o time está “bem preparado para conseguir nosso objetivo”, finalizou.

Publicidade
Publicidade