Publicidade
Esportes
Zuera sem fim!

Campeão amazonense, Fast tem lista de apelidos inusitados no elenco

Campeão estadual, Fast Clube tinha escalação de apelidos que foram parar até nas súmulas oficias do Campeonato Amazonense 30/10/2016 às 05:00
Show img0017410538
O elenco campeão preparou uma lista de apelidos que contemplava até membros da diretoria do time. (Foto: Winnetou Almeida)
Valter Cardoso Manaus-AM

Benjamin Button, Pônei, Boneco de Olinda, Cidade Nova e Marciano.  Esses são alguns dos nomes que foram registrados nas súmulas do Campeonato Amazonense. O Fast, campeão estadual, chamou a atenção não só pelo futebol, mas pelos  apelidos  do elenco que foram parar nos papéis.

O bom humor do time passou dos vestiários para o campo pelas mãos do vice-presidente Cláudio Nobre. Dentro das quatro linhas, o que era brincadeira, virou união. “A alegria nossa que a gente já tinha na apresentação, que ia até  durante os jogos era  o que motivava a gente, cada vez mais, a comparecer a um treino, comparecer nos jogos querendo sempre a vitória”, explicou Charles,  atacante do Fast.

Mas a lista de apelidos é muito maior do que vai ficar documentado e pelos motivos mais inusitados.

A lista

A relação completa dos apelidos é extensa, mas alguns nomes chamam a atenção. Charles e Felipe, do Fast Clube fizeram praticamente toda a escalação do time, de um jeito bem diferente.

“Nossa brincadeira começou através do rachão, nosso rachão sempre foi uma brincadeira nossa, sadia, e o time perdedor era sempre muito zoado. Então eu e o Felipe tivemos a ideia, na nossa vitória, de procurar alguns personagens que poderiam encaixar nos jogadores e nós fomos criando”, explicou Charles.
A criatividade realmente chama a atenção durante a ‘listagem da zoeira’.

Um dos nomes que mais chama a atenção é Benjamin Button, em alusão ao personagem do filme, que foi empregado ao lateral Velho (que já é apelido) devido a semelhança física.

Filho de João Carlos Cavalo, Matheus, que também integrou o elenco do Fast na campanha do título herdou o apelido de Pônei. Outro que chama a atenção é o lateral Andresinho, que recebeu o apelido de “Olhar Gospel”. Afinal, de acordo com o elenco, o jogador afirmava não ver maldade nas coisas. Nem mesmo o craque do campeonato fugiu dos apelidos. Ronan foi apelidado de Pokemon e, de acordo com Charles e Felipe, valeria uma pontuação altíssima no jogo Pokemon GO. Roberto Dinamite recebeu o sutil apelido de Stitch, pela semelhança com o desenho animado.

Nem mesmo a comissão técnica da equipe fugiu das brincadeiras. Dirigente do Rolo Compressor, Rodrigo Novaes recebeu o apelido de Nhonho, enquanto o outro diretor Rafael Melo virou o Bolinha. Preparador físico do time, Mozart recebeu o apelido de Brutus da Somália por conta da maneira pouco sutil como tratava os jogadores, acompanhado de um corpo magro. Até mesmo o vice-presidente recebeu apelido. Claudio Nobre precisou se acostumar a atender pelo apelido de Alevino, dentro do elenco que se tornaria campeão amazonense.

Família

O elenco afirma que a grande maioria dos apelidos acabou sendo recebido de maneira pacífica e que isso ajudou a manter o elenco ainda mais unido em busca do tão sonhado título.

“Essas brincadeiras sempre foram sadias nunca houve discussão, o contrário disso. A gente só tem a agradecer, por  tudo que esse grupo fez, tudo que essa família. Foi uma família mesmo, então toda família tem suas brincadeiras, tem seus apelidos e aqui não foi diferente”, finalizou Charles.

Publicidade
Publicidade