Publicidade
Esportes
MMA

Da roça para o octógono: a história do novo dono do cinturão peso-palha do Mr Cage

Conheça a história de um menino coariense que vem da roça e promete ser a nova sensação do MMA. Aos 17 anos, já detém o cinturão peso palha do Mr Cage 05/08/2018 às 11:17 - Atualizado em 05/08/2018 às 11:21
Show whatsapp image 2018 08 03 at 19.01.41  3
Lucas estreou no Mr. Cage em maio de 2017, vencendo por finalização, Jhonata de Souza Peres (Foto: Arquivo pessoal)
Camila Leonel Manaus (AM)

Mr. Cage 35, disputa pelo cinturão peso palha, o desafiante, Lucas Rocha sobe no octógono. O adolescente de 17 anos com 1,61 de altura entra sem demonstrar nervosismo ou medo. Talvez confiante no cartel de oito lutas e oito vitórias. Nem a presença do dono do cinturão, de 30 anos, mais experiente e mais forte assusta o menino. A luta começa e todo o tempo Lucas sorri. Ele sorri quando o golpe do adversário entra e ele acaba indo ao chão, mas se levanta rapidamente segundos depois. Sorri quando os chutes de Michel costa passava no vazio e sorria mais ainda quando um dos seus golpes entravam. E com a malandragem de um menino e a tranquilidade que parecia de um veterano, ele abriu o maior dos sorrisos quando os médicos atestaram que o braço do rival havia quebrado e não tinha como continuar a luta. Lucas Rocha era dono do cinturão, o mais jovem detentor de um cinturão de MMA no Mr. Cage.

“Eu coloco uma meta na minha vida, sempre sorrir. Sorrio porque sou alegre, me deixa mais confiante e mesmo que a situação esteja complicada, eu sorrio para intimidar meus adversários”, diz Lucas Rocha, da academia Renovação Coari Team (RTC). Lá, 250 alunos se dedicam todos os dias para chegar longe no mundo do MMA. Lucas começou nas artes marciais já adolescente, com 15 anos e rapidamente veio a evolução que impressionou o técnico Izaías Cunha. 

“Essa luta foi um pedido meu ao Samir (Nadaff, empresário do Mr. Cage) por essa disputa e ele estava com receio por ele ter 17 anos, mas eu sei quem tô criando. O Lucas está comigo todos os dias e eu não tinha dúvida da capacidade dele e não é à toa que esse moleque é chamado de fenômeno, porque é o que ele é, um verdadeiro fenômeno”, disse, o treinador. A primeira luta do garoto foi no dia 10 de dezembro de 2016 em um evento de MMA da cidade: o AFC contra Elijones Pereira da Silva. “Foi uma luta dura. Eu tenho 1,61 e ele tem 1,72 e todo mundo achava que eu não ia ganhar. Se bem que até hoje é assim, as pessoas acham que eu não vou ganhar e sempre surpreendo lá em cima”.

Mas não é só de confiança e sorrisos que a rotina de Lucas é feita. Também tem muito treino envolvido. Ele conta que todos os dias separa três períodos para a preparação: das 8h às 10h30 da manhã, das 12h30 às 14h e das 17h30 até 18h30. Após  último treino, ele vai para a escola, onde cursa o 1° do ensino médio. Junto com essa rotina, o jovem ainda ajuda a avó, Dona Zezé, na roça e na fabricação de farinha.

“Na minha vó tem um terreno e eu ajudo ela: arranco mandioca, subo no açaizeiro e isso serve pra mim como treino, porque ajuda a ter força nos braços, na lombar. Não tenho vergonha de falar isso porque foi de lá que eu comecei e a minha vó sempre me ensinou que um todo grande homem começa de baixo e eu sou muito grato a ela e aos meus pais porque sempre me mostraram o melhor caminho”, contou o menino que tem como maior ídolo o campeão peso-mosca do UFC Demetrious Johnson. “Treino para chegar no nível dele um dia e também tem os meus companheiros de academia. Eu treino com os melhores”.

E o caminho de Lucas encontrou o Mr. Cage, onde estreou em maio de 2017 vencendo por finalização, Jhonata de Souza Peres. Porém antes de entrar no evento, Samir Nadaff, dono explica que o jovem foi emancipado.

“Ele é emancipado, com assinatura de documento em cartório e ele começou a lutar, foi bem nas lutas dele e ganhou o direito de disputar o cinturão. Ele agora bateu em um cara carimbado, o Michel, que infelizmente quebrou o braço, mas antes disso a luta estava lá e cá. Isso mostra a qualidade dele", completou. 

Publicidade
Publicidade