Sábado, 24 de Agosto de 2019
SÉRIE D

Voa, Gavião! Manaus inicia luta pelo acesso à Série C contra o Caxias, no Sul

O Gavião do Norte chega as quartas de finais da série D pelo segundo ano consecutivo. A partida de volta será no próximo dia 20 de julho, na Arena da Amazônia



SPO.SP.R14_FDDAC3AE-F0C9-438C-9E1A-740AB2107867.jpg Foto: Sandro Pereira
13/07/2019 às 14:53

O Gavião do Norte alça o primeiro voo em busca do tão sonhado acesso neste domingo, no jogo de ida das quartas de finais da Série D diante do Caxias-RS, a partir das 15h (horário de Manaus), no estádio Centenário, na cidade de Caxias do Sul. 

Depois de bater na trave do acesso na temporada passada, o  time esmeraldino chega pelo segundo ano consecutivo à fase que define vaga para Série C. No duelo decisivo de 2018, o Gavião perdeu a primeira partida por 1 a 0 fora de casa. Na volta, o Verdão da Capital  venceu por 2 a 1. Pela igualdade na soma dos placares, a vaga foi decidida nas penalidades, onde o Imperatriz-MA levou a melhor vencendo pelo placar de 3 a 2, em solo baré.

Pelo fim do tabu

Pela ascensão à Série C, o Manaus também busca quebrar um tabu de nove anos sem uma equipe amazonense conseguir o feito. Desde a criação da Série D, em 2009, o América, do saudoso Amadeu Teixeira  foi o único a conseguir o acesso, isso em  2010. No entanto, o Mequinha  acabou perdendo a vaga no Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por escalação irregular de jogador,  beneficiando  o  Joinville-SC. Outra equipe que fez história quando o assunto é acesso foi o São Raimundo, que há 20 anos subiu da terceira para a Segunda Divisão, onde permaneceu por seis temporadas.

Para reescrever a história no futebol baré, o Manaus  conta com o poderio ofensivo do seu “Homem de Gelo”, o meia-atacante Hamilton. O camisa 25    é vice-artilheiro da Série D 2019, com seis gols, e se destaca pela frieza nos momentos de decisão. Remanescente do time  que falhou na briga pelo acesso no ano passado, Hamilton sabe das dificuldades que vai encontrar em Caxias, mas crê em bom resultado.

“Assim como vai ser difícil para nós lá, vai ser difícil pra eles aqui. Mas vamos com força total  e, se Deus quiser, conseguir um resultado positivo lá, que é muito importante. Acho que a maioria aqui (jogadores) não é acostumado a jogar no frio, mas vamos ver como vai ser lá. São 11 contra 11, o frio pode atrapalhar um pouco nossa equipe, mas acreditamos que podemos superar isso e fazer um grande jogo”, declarou o camisa 25.

Estreante pelo acesso

Pela primeira vez em uma decisão de acesso no Brasileiro da Série D, o treinador Welington Fajardo admitiu que esse momento é o mais importante de toda sua carreira como técnico de futebol, mas disse estar sempre preparado para encarar desafios no clube.

“Nós estamos sobre um desafio o tempo todo, desde a minha chegada ao clube, quando fomos campeões do segundo turno e depois conquistamos o título amazonense. E depois veio a Série D, onde fizemos uma bela campanha, e cada jogo é um desafio. E agora é o desafio final em busca de um objetivo que a gente tanto almeja, que é subir de divisão. Em um time tão jovem como o Manaus, que representa um estado tão importante da União. Mas, no que diz respeito a nós da comissão técnica e jogadores, os desafios são superados no momento que a gente treina bem, se alimenta bem, pra que tudo dê certo dentro de campo na aplicação do trabalho”, ressaltou o comandante  do Gavião.  

Fajardo destacou também que, apesar da história longa do Caxias no cenário do futebol nacional, e os elementos externos do duelo, a partida se definirá apenas dentro das quatro linhas.

“Na verdade, são 180 minutos e é o primeiro tempo de uma final. A gente espera que todos esses fatores que estão sendo elencados não venham influenciar no andamento do jogo. A gente fala muito de temperatura, o campo, a pressão, e a equipe que vai jogar contra uma equipe muito tradicional do futebol brasileiro, mas o que vai decidir mesmo é o que vamos fazer dentro de campo”, frisou o treinador.

Com estilo de jogo que caiu nas graças da torcida em apenas  cinco meses de trabalho à frente do Gavião, Fajardo vislumbra o feito de levar o Manaus FC e, consequentemente,  o futebol amazonense a conseguir um acesso depois de tantos anos. “Todo esse bom momento no futebol há cinco meses, nos dá a esperança de mais uma façanha, que é colocar o Amazonas no cenário nacional depois de tantos anos”, concluiu o treinador.

Receba Novidades

* campo obrigatório
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.