Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
FUTSAL

Canadense aproveita férias em Manaus para atuar no sub-15 de futsal do Rio Negro

A goleira Karoline Braga é filha de brasileiros, mas nasceu em Montreal, no Canadá



Karoline_Rio_Negro_580B3863-6359-4C9D-B9D4-2FF348DD6BD3.jpg Foto: Sandro Pereira
20/07/2019 às 19:25

A equipe sub-15 da escolinha de futsal do Rio Negro ganhou um reforço internacional: a goleira Karoline Braga Lopes, 15. Nascida em Montreal, no Canadá, ela é filha do casal de brasileiros Luiz Lopes e Milene Braga,  que está de férias desde o dia 1º de junho, em Manaus. E pela vontade incessante de jogar acabou encontrando a escolinha do time Barriga Preta. 

Durante os treinamentos, a jovem atleta mostrou talento no gol e recebeu convite do treinador Yan Duarte para disputar a Super Copa de Escolinhas, categoria sub-15 masculino, que será disputada na quadra Edmilson Santos,  no São Raimundo, na Zona Oeste de Manaus. 

Karoline Braga relatou como chegou à escolinha de futsal e a primeira experiência nas dependências do ginásio Arystophano Anthony, casa do Galo. 

“Todas as férias que eu tenho, que são de dois meses,  meus pais vêm para cá. E como eles são de Belém (no Pará), eles sempre passam por aqui. Então eu já vim muitas vezes para cá, mas na escolinha é a primeira vez. Os treinos são bem legais, os caras são bem legais comigo. Eles me tratam com respeito. E o treino é muito divertido, é bom. O treinador Yan também é muito bom”, declarou a arqueira canadense. 

Apesar de ter sido bem recebida, a goleira de futsal do Galo disse que no início os companheiros de treino estranharam um pouco a presença feminina em meio a tantos meninos.

“Quando eu cheguei aqui todo mundo ficou me olhando de forma estranha, e sempre iam muito devagar em cima de mim no jogo. Mas em todo treino que eu começo a defender eles se empolgam e ficam um pouco mais agressivos, mas é coisa do jogo. Então não tem problema nenhum”, disse Karol. 

O treinador Yan Duarte teceu elogios as habilidades da goleira canadense e aposta no potencial da atleta para ajudar o time masculino sub-15.

“Ela entrou em contato conosco pelo telefone da escolinha e disse que estava interessada em fazer parte. E ela veio aqui e gostou, e já tem umas duas semanas que vem treinando com a gente na categoria sub-15. Ela como goleira tem se saído muito bem até mesmo com meninos muito bons daqui. Ela tem mostrado que o sexo não é uma barreira para ela jogar nessa posição”, destacou o treinador da escolinha do Galo. 

Experiência de sobra

O contato de Karol com o futebol vem desde os cinco anos de idade, em sua cidade natal, no Canadá. A atleta tem passagens por três equipes locais da cidade de Montreal.

“Minha mãe me colocou pra jogar bem pequena, e depois fui continuando e comecei a gostar. Eu jogo atualmente por um clube chamado Evolution FC do Canadá, mas já passei pela Impact e Westmouth”, relatou a goleira.

Mulher sabe jogar

Karoline tem como referência a ex-goleira norte-americana Hope Solo, campeã do Mundo e bicampeã Olímpica e um dos ícones do futebol feminino nos Estados Unidos.  

“Minha grande referência é a Hope Solo. Para mim ela é a melhor goleira de todos os tempos. E ela é uma grande inspiração pra mim como atleta”, ressaltou a jogadora canadense. 

Aproveitando o sucesso da Copa do Mundo Feminina da França, que acabou no início do mês, a goleira acredita que a partir deste ano, o cenário do futebol pode melhorar para as mulheres no mundo todo.

“Nós também podemos jogar, temos capacidade pra isso. A gente não é só espectadora, pois nós sabemos jogar. Eu queria dizer pras pessoas que quando vêem uma mulher numa quadra ou num campo, que nós podemos jogar”, finalizou a goleira do Rio Negro.

Receba Novidades

* campo obrigatório
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.