Domingo, 17 de Novembro de 2019
HERANÇA

Nadadora Louise Haddad vê a filha trilhar o mesmo caminho das braçadas

Raíza, de apenas 9 anos, herdou o DNA campeão da mãe, sua maior incentivadora nas provas de natação, e mostra que filha de peixe, peixinho é!



13/05/2018 às 06:00

Os primeiros - e às vezes mais importantes ensinamentos - na vida de uma criança vem da mãe. E além da educação e valores, no caso de Raíza Haddad, 9, outra lição importante foi transmitida pela mãe, Louise Haddad: o amor pelo esporte, mais especificamente, pela natação. 

Essa ligação com as piscinas, na verdade, começou com um pedido da própria Raíza, que via pela casa as fotos e medalhas da mãe que competiu dos nove aos 22 anos.



“Eu comecei a nadar quando eu vi que ela estava nadando. Via as fotos dela, as medalhas e quis experimentar, aí minha mãe falou que um dia ia me ensinar a nadar, aí ela me levou para experimentar e eu gostei”, conta Raíza. O pedido foi a oportunidade para Louise levar a filha para aprender as primeiras braçadas.

“Chega uma certa idade que as crianças têm que praticar alguma atividade física. Ela pediu e levei para o treino e ela se identificou muito”, conta a mãe que disse que relembra como Raíza surpreendeu a ela e aos professores da escolinha. “Em três meses de treino ela começou a competir e já ganhou medalha. Até os professores ficaram surpresos. Eu penso que é tipo uma herança genética. Ela tem uma habilidade muito grande nos estilos. O único que ela não sabe direito ainda é o borboleta, mas os outros ela nada perfeito”, 
conta.

Após a primeira medalha, no Festival Sesi de Natação, no ano passado vieram outras medalhas e é com orgulho que Raíza mostra as suas primeiras conquistas. “Na minha primeira competição eu fiquei bem nervosa, mas quando ganhei a medalha fiquei bem feliz por ter uma medalha que nem a minha mãe. Um dia eu quero nadar que nem ela”, comenta.


 

Herança de Família

Assim como Raíza iniciou na natação incentivada pela mãe, Louise começou a nadar incentivada pelo pai e essa troca de papéis de um dia ser incentivada e hoje ser a incentivadora é gratificante para a mãe de Raíza.

“Pra mim é gratificante por ver a identificação que ela tem demonstrado. Ela vai para o treino, eu observo ela nadando, às vezes dou umas orientações ‘bate o braço’ e o treinador fala pra eu ter calma que ela ainda tá aprendendo, mas a gente fica toda besta né, vendo ela evoluindo. Nem acreditei quando ela competiu a primeira vez e ganhou uma medalha e ela foi além das expectativas”, conta Louise, que nadou até os 22 anos, idade em que engravidou de Raíza. A última prova que ela disputou foi a Travessia Almirante Tamandaré e tinha como especialidade a maratona aquática.
 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.