Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
Pugilismo

Boxeador Morramad Araújo disputa cinturão para homenagear seu professor

Único profissional do Amazonas na competição, o pugilista quer dedicar o título para o seu mestre, Pedro Nunes, falecido há 2 semanas. A disputa será no mês de agosto, em SP



Morramad_Ara_jo__Ring_Boxe__EBD8DCC5-19B1-4A76-9A58-31E415AB0605.jpg Foto: Antônio Lima
16/06/2019 às 12:49

Em suas luvas de boxe, Morramad Araújo, 32, carrega o nome ‘Ring Boxe’ como homenagem ao saudoso treinador Pedro Nunes, falecido em Manaus há duas semanas.  É com esse nome, que o pugilista irá disputar o Campeonato Brasileiro de Boxe no dia 3 de agosto, em São Paulo. A disputa será contra o atual campeão Francisco Assis na categoria meio médio ligeiro até 69kg.

Nunca lutei sem falar com o professor Pedro antes da luta, então vai ser a primeira vez que eu não vou poder ouvir os conselhos dele, por isso vou levá-lo comigo para essa luta”, disse Mohamad, que está otimista com o resultado. “A expectativa é sair da luta com o braço levantado e levar o nome do Pedro Nunes ainda mais longe. Ele deixou um legado muito importante para a gente aqui. Então para mim é algo muito bom porque eu sou o cara que está levando o legado do professor ao boxe profissional”, ressaltou.


Mohamad e seu mestre, Pedro Nunes. Foto: Divulgação

O cinturão seria uma conquista inédita para o Amazonas e um dos combustíveis é a lembrança das lutas, treinos na Arena Ring Boxe, além dos conselhos do treinador Pedro Nunes.

 “Eu não queria estar na pele do meu adversário, porque ele só vai me ganhar de um jeito, se ele me matar lá dentro do ringue e eu acho meio difícil isso porque não estou com vontade de morrer. Vou bater muito nele e estou disposto a ganhar a luta, assim como ele vai estar disposto a defender o cinturão. Isso é normal. Mas eu não volto para Manaus sem aquele cinturão. E eu vou levar aquele cinturão, treinei muito para isso. Confesso que me abalei muito com essa perda que todos nós tivemos, mas eu tinha o professor Pedro como meu pai, mas isso me deu maior força para chegar lá e ganhar o título”, ressaltou.

30 anos de Ring Boxe

Com objetivo de estimular a juventude à prática do esporte e nocautear a marginalidade que cerca a nova geração, o ex-pugilista e treinador de boxe Pedro Nunes idealizou o projeto social ‘Ring Boxe’, que mesmo remando contra a maré da falta de apoio e criticado tanta vezes pela falta de estrutura nas atividades lutou até o último suspiro de sua vida pela ação na área externa do Ginásio Zezão, bairro de São José Operário, na Zona Leste de Manaus.

Com passagens de mais de cinco mil atletas ao longo dos 30 anos de ‘Ring Boxe’, o popular projeto de pugilismo manauara faz aniversário no próximo dia 29 de junho, que revelou os campeões brasileiros de boxe amador Maria Marreta, em 2002, e Cássio Humberto, em 2006.

E o legado do baiano Pedro Nunes permanece vivo no cenário do esporte amazonense.  A doação do tempo e a paciência para ensinar tudo sobre o boxe aos diversos jovens foram as marcas deixadas para todo círculo familiar e fraternal do famoso ‘Ring Boxe’ imortalizadas na famosa expressão utilizada pelo treinador:  “Valeu, Valeu, OK, OK”. Hoje, essas mesmas palavras simbolizam a gratidão de todos os que ficaram cheios de saudade pela companhia e a determinação apresentada pelo mesmo durante todos os anos no ringue improvisado com piso de madeira, coberto com lona, resistente a chuva e ao sol.

Mesmo em momento de luto a família deseja manter vivo o projeto social, mas ainda vai aguarda pela definição da luta de Morramad Araújo, que pode vir a ser o principal responsável das atividades relacionadas ao ‘Ring Boxe’.

 

Receba Novidades

* campo obrigatório
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.