Terça-feira, 23 de Julho de 2019
Primeiros e Apostos

Conheça o clube amador fundado para encontrar amigo desaparecido

Atletic São Jorge foi o primeiro time a se inscrever no Peladão 2019 e já está preparado para o campeonato



show_Atletic_S_o_Jorge_Pelad_o_8155A6E9-88A0-4FB3-8ED5-769CA5046CBC.jpg Foto: Antônio Lima
22/06/2019 às 14:59

Primeira equipe inscrita no Peladão 2019, o Atletic São Jorge vai disputar a competição pelo quarto ano seguido- na categoria principal - mas adivinhem o motivo da pressa para participar do maior campeonato de peladas do mundo? O presidente do clube amador, Leandro Fernandes, pode responder: “A gente sempre quis ter vontade de sair jornal, mas nunca tinha dado certo, aí a Dona Cícera – responsável pelas inscrições da administração do Peladão - disse que se a gente fosse um dos primeiros a se inscrever haveria chance de a gente ganhar uma reportagem, daí ela me avisou e quando foi no dia de junho, pela manhã eu fui lá na sede e fiz a inscrição. Literalmente eu fui o primeiro a entrar lá na sede, porque quando eu cheguei lá ainda não tinha nem aberto”, declarou o mandatário da equipe amadora.

Mas quem imagina desorganização na pressa do Atletic São Jorge para competir se engana, pois o time está treinando desde janeiro toda quinta-feira no campo da Mini-Vila Olímpica do Santo Antônio, Zona Oeste de Manaus. E além de contar com todo equipamento, bandeira e sede social, os guerreiros da rua Humberto de Campos almejam uma colocação ainda melhor nesta edição do Peladão.

“Esse ano a gente quer buscar chegar até entre os 60 e dá pra chegar. O time está jogando junto desde o ano passado e não perdemos muitos atletas. Ano passado a gente deu azar por ter pego o Unidos da Alvorada logo de cara. E estamos focados agora, e nós só esperamos um time favorito depois dos 60 melhores, até porque o perde e sai é sorteio. Mas se a gente pegar um time do nosso nível, a gente vai de igual para igual. Agora, se jogar com uma equipe com mais estrutura, vai ter que jogar acanhado, tentar ir para os pênaltis e chegar os 60 melhores”, ressaltou Leandro Fernandes, que também joga como goleiro no time.

A Estrela de Beiçola

Da roda de amizade à busca por um amigo, assim começou a história da equipe, que no ano de 2016 foi fundada com o nome Amigos do Beiçola. “A gente iniciou com o projeto para achar um amigo nosso, o Beiçola (Rodrigo Wilker), que tem deficiência mental e estava desaparecido há 10 anos aqui do São Jorge. A gente se mobilizou e só tava esperando pra inscrever o time.  Faltando uma semana pra fazer a inscrição ele apareceu de novo lá com a mãe dele (Marleide Silva)”, relatou Leandro.

Após o retorno de Beiçola veio a inspiração para criar uma identidade forte do time representante do bairro, com destaque a estrela vermelha acima do escudo da equipe que homenageia o amigo.

“Depois que ele apareceu, a gente resolveu mudar o nome do time, por causa do Atlético Nacional, da Colômbia, que na época tava no auge (o time foi campeão da Libertadores naquele ano). Daí nós colocamos Atletic São Jorge, só tiramos a letra “o”, pra não ficar muito simples. E também a gente colocou uma estrela pra mostrar que nós encontramos o Beiçola”, explicou o presidente do clube amador.

Papel Social

A importância de aliar o esporte e lado social é uma das apostas que deu certo na equipe, e bastou a iniciativa há quase dois anos, de dois amigos de infância com duas enxadas para limpeza de um local abandonado, que virou sede do Atletic São Jorge.

“Esse terreno era esquecido, vinha um pessoal fumar aqui, e usar droga. Até que eu e o meu amigo (Antônio Soares), decidimos limpar pra fazer a nossa sede. E nós dois na enxada, limpamos todo entulho e começamos a fazer nossas resenhas aqui depois do jogo”, disse Leandro.

Com objetivo de integrar ainda mais a comunidade a equipe também passou a realizar atividades comemorativas em datas especiais ao longo do ano.

“A gente pensou em colocar o time aqui da comunidade para usar o espaço. E a partir daí nós fazemos comemorações de datas comemorativas, como dia das crianças, dia dos pais, das mães, sempre para mostrar o nome do time, e até mesmo, chegar até na mídia pelo nosso trabalho aqui”, finalizou Antônio Soares, lateral direito do time.

Participação no Peladão

Apesar de ter batizado o time com o nome de uma equipe que era sensação em 2016, na primeira participação, o Atletic foi ‘saco de pancadas’ no Peladão, com derrotas em todos os jogos na fase de grupos. Mas a equipe acabou avançando de fase pela desistência de um dos adversários, e no primeiro perde e sai não foi diferente: em mais um revés, o time foi eliminado por 2 a 1 pelo Amigos da Betânia. De lá para cá, já são três participações no maior campeonato de peladas do mundo. “No primeiro foi só amizade mesmo, só o pessoal mais antigo aqui do bairro e do colégio, tanto é que a gente perdeu todas. A gente ainda estava começando com o time”, destacou o goleiro do time.

Na segunda vez disputando o Peladão, a equipe teve o melhor desempenho na competição chegando até o segundo perde e sai. Na última edição, o Atletic São Jorge perdeu apenas um jogo na fase de grupos para o Unidos da Compensa, nas outras partidas a equipe venceu, mas caiu, mais uma vez, no segundo perde e sai para o Cidadão 10 pelo placar de 3 a 1.

Receba Novidades

* campo obrigatório
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.