Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020
SUSTENTÁVEL

Turma de educação física da Ufam fabrica pranchas com materiais recicláveis

As pranchas de SUP ou “stand up paddle” foram fabricadas com 93 garrafas PET, gelo seco e outros materiais reciclados.



Turma_sup.jpg Os alunos precisaram pesquisar na internet como fazer a prancha, e a produziram tendo pouco tempo para realizar o trabalho.
08/07/2018 às 08:35

 O SUP ou “stand up paddle” é uma prática amada pelos amazonenses, mas ela tem um defeito: seu custo relativamente alto. Para desviar desse problema, a turma do 7º período do curso de Educação Física da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) ficou responsável por montar pranchas apenas com materiais recicláveis. O resultado? Pranchas baratas e eficientes, feitas com garrafas PET. 

“Uma prancha que custaria R$ 2 mil custou R$ 300 e ficamos contentes porque vimos que podemos reutilizar materiais, muitas vezes descartados como poluentes, transformando-os num instrumento que pode ser usado para dar aula de SUP aos ribeirinhos ou para ensinar o pessoal a nadar”, disse Rafaela Guerreiro, estudante de Educação Física. 



A ideia de fabricar pranchas de SUP sustentáveis partiu do professor de Rafaela, Nilton César Ferst, que pediu aos 14 alunos da disciplina “Atividade Física, Saúde e Ecologia” que as pranchas fossem produzidas. “Vimos na Internet que precisaríamos de 93 garrafas PET, cola, gelo seco e outros materiais. Tivemos que correr atrás, porque tínhamos um mês para apresentar o trabalho e não bebemos tanto refrigerante assim para conseguir tantas garrafas (risos)”, explicou Rafaela. Ela e as outras duas integrantes do seu grupo, Alessandra e Christiellen, encontraram então uma fábrica que vendia as garrafas a um bom preço, e partiram para a montagem da prancha. 

“Conseguimos montar a prancha num período recorde de três dias”, disse. O lado criativo também foi colocado em prática. “Usamos tapetes para banheiro, mas outros colegas usaram tapete usado de carro, para as quilhas da prancha, usamos CDs, e para aos remos, cabo de vassoura e metade de uma garrafa cortada”, conta Rafaela. Daí foi só apresentar para o professor na piscina da universidade. “Foi perfeito, deu tudo certo”, comemora.

Trabalho com nota 10!

O professor Nilton, que passou a missão da fabricação da prancha de SUP sustentável a seus alunos, ficou satisfeito com o resultado dos trabalhos. “Eles conseguiram realizar o trabalho e o material que produziram pode trazer saúde, bem-estar, tudo isso, buscando sustentabilidade. Claro, foi a primeira vez, numa próxima, eles já fariam de forma mais rápida, barata e eficiente”, enfatiza. Agora, os alunos pretendem continuar usando a prancha para várias atividades.

“Vamos levar a prancha para as pessoas conhecerem. Muita gente já me pergunta como faz”, disse Rafaela. Uma nova apresentação das pranchas ainda não tem data marcada, mas para o professor Nilton a ideia de reciclar deve ser bem divulgada. “É legal as pessoas perceberem que o material reciclável é bem útil. Pode ser usado na fabricação de dardos e obstáculos do atletismo também”, completou. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.