Publicidade
Esportes
Tipo exportação

Zagueiro amazonense que começou no Atletas de Cristo vai jogar em Portugal

Raul Avinte vai atuar pelo Atlético Clube de Portugal, da 2ª Divisão. Segunda-feira (16) ele se apresenta no clube 15/01/2017 às 05:00
Show spo aa.r.7
O zagueiro de 24 anos joga desde os 14 através do Atletas de Cristo. (Foto: Aguilar Abecassis)
Camila Leonel Manaus (AM)

Aos 24 anos, o zagueiro Raul Avinte passará por uma grande mudança de vida: jogará na Europa. A viagem para Portugal ocorreu na última sexta-feira. Segunda-feira (16) ele se apresenta no Atlético Clube Portugal, clube que disputa a segunda divisão do Campeonato Português. Nascido em Santarém e radicado em Manaus, Avinte começou a jogar aos 14 anos no projeto social Atletas de Cristo.

E como todo o começo, o dele também não foi fácil. Morando no Jorge Teixeira, na Zona Leste, o então adolescente precisava pegar três ônibus para chegar no Campos Elíseos, onde aconteciam os treinos. “Eu pegava três ônibus, saía de casa 2h antes para estar no treino no horário certo porque era longe”, conta.

A televisão e os amigos foram o caminho para o projeto e com disciplina, o jogador conseguiu espaço nos times de base de Manaus. O primeiro deles foi o Libermorro, que na época tinha parceria com o projeto.

“Através das parcerias com alguns clubes o professor me indicou para as categorias de base. Foi aí que comecei a procurar essa parte do rendimento no futebol. Passei pelo juvenil e juniores. Aí só me restava o profissional e foi só um empurrãozinho”, disse o jogador que passou por Iranduba, Fast e, por último o Rio Negro, clube em que atuou em 2015.

A vida de Raul começou a tomar um rumo diferente quando no segundo semestre do ano passado ele recebeu a proposta de um empresário amigo de Lúcio Silva, coordenador do Atletas de Cristo. E com o “sim” começou a preparação intensa para jogar no Sporting Clube Portugal B, time da segunda divisão de Portugal. O preparo inclui treinos físicos e de fortalecimento muscular, tudo para chegar pronto na terra dos Patrícios. Tudo parte da recompensa de um esforço de 10 anos.

“Como qualquer profissão tu rala, tu busca, tu abre mão de muitas coisas e quando recebe um convite desse e tu vê que tudo o que tu fez em relação ao futebol tá dando certo”, comemorou.

Olhando para a sua trajetória no futebol, jogador, que tem como referências David Luiz, do Chelsea, Thiago Silva, do PSG e Sérgio Ramos, do Real Madrid, diz que  um dos trunfos foi ter orientação certa desde o começo da carreira.

“Graças a Deus eu tive a oportunidade de cair na mão de pessoas certas. Eu tô com os pés no chão. Não sou muito adepto do ‘oba boa’, mas tô feliz de sair de um lugar onde poucas crianças têm oportunidade e chegar onde cheguei”, finalizou.

Publicidade
Publicidade