Publicidade
Esportes
LUTA

Duelo feminino no ‘Rei da Selva’ coloca duas lutadoras invictas frente a frente

Dayane Souza “Monster” e Larissa Raywry fazem a terceira principal luta da noite, que acontece no próximo 1º de setembro em Manaus 21/08/2018 às 14:10 - Atualizado em 21/08/2018 às 14:14
Show 1534874940452098 654ee62e cbe4 435e bcfa 94b2692262a5
Foto: Divulgação
acritica.com

O Rei da Selva, que chega à 12ª edição no dia 1º de setembro, preparou um grande confronto feminino para o card principal. A organização coloca frente a frente duas mulheres que têm, em comum, um único e importantíssimo fator: a invencibilidade. Dayane Souza “Monster” e Larissa Raywry fazem a terceira principal luta da noite.

Dayane vem de Autazes. Carrega, do interior do Amazonas, a fluência do muay thai, sua especialidade, e muita força de vontade para dar a guinada que precisa na sua ainda recente carreira no MMA. É dentro do Rei da Selva que ela faz sua terceira luta e espera se consolidar na modalidade.

“Eu vim de Autazes. Lá eu cresci, estreei no MMA e fui grande campeã no muay thai. Saí de lá e me mudei para Manaus para poder me dedicar completamente à minha carreira, que começou nesse ano. Desde que decidi praticar o MMA eu passei a treinar muito o jiu-jitsu para me tornar cada vez mais completa. E é isso que vou mostrar nessa luta: que sou uma grande lutadora. O pacote completo” comenta Dayane, que tem 22 anos. 

Larissa é de Eirunepé, e trilhou o caminho inverso da adversária. Ela é especialista na luta de chão e carrega a faixa roxa do jiu-jitsu como grande conquista na carreira de atleta. Foi também neste ano que ela decidiu se aventurar no MMA e garante: foi onde se encontrou e descobriu no boxe uma nova paixão.

“Moro em Manaus há muito tempo. Vim para cá ainda nova e é daqui que vem a minha raiz do jiu-jitsu. No começo desse ano uma amiga foi fazer o camp para uma luta na minha academia e treinou comigo. Ali eu percebi que queria praticar MMA. Acabei surpreendendo os técnicos no boxe e é em cima disso que tenho construído meu estilo de luta” relembra Larissa, que tem apenas 20 anos de idade.

Invencibilidade em jogo

Há uma única certeza para o combate feminino: uma sai do octógono sem o título de invicta. Ambas fazem sua terceira luta nesta noite e a promessa é de uma luta bem equilibrada. Com contrastes claros entre as duas. 

Dayane tem 22 anos, 1,58m e luta na categoria dos 55 kg. Como explicou, tem como grande aliada a luta em pé. A velocidade na trocarão e garante ser striker. A pressão de correr o risco de manchar o cartel com uma derrota não assusta.

“Nem por isso, posso deixar ela pensar que não me garanto no chão. Tenho treinado meu jiu-jitsu, minhas defesas de queda e posso fazer essa luta da forma que for. Tenho oito lutas e vitórias no muay thai e também sou invicta no MMA. Não sei nem qual é o gosto da derrota. Não pretendo sentir isso agora” desafia Dayane.

Larissa é um pouco mais alta, com exatos 1,60m. Faixa roxa e no jiu-jitsu há mais de seis anos, ela foi o contrário. Precisou trabalhar a luta em pé. O discurso é o mesmo: em pouco tempo assegura ter capacidade para levar uma luta de igual para igual, seja em cima ou no chão.

“As pessoas estudam o seu histórico e logo assumem que, só porque vim do jiu-jitsu, só sei fazer isso. Eu sei surpreender. Eu posso, sempre, surpreender. Claro que tenho a minha vantagem, e não vou contar conversa para levar ela ao chão. Mas se for para trocar, troco de igual. Eu estou bem tranquila, com meu psicológico em dia. Não tenho medo de perder. No MMA você tanto bate quanto leva. É isso que a gente promete. Uma grande luta.

O Rei da Selva

Com nove lutas no card e dois GPs, a 12ª edição do Rei da Selva acontece no dia primeiro de setembro, no Manaus Plaza Shopping. 

Ingressos

Os ingressos já estão à venda em valores que variam de R$ 40 a R$ 250. O mais barato é das cadeiras simples, na plateia. A cadeira VIP custa R$ 70 e o valor máximo é referente à mesa para quatro pessoas. Para maiores informações: (92) 98175-9845.

Publicidade
Publicidade