Publicidade
Esportes
Craque

Dura missão em Belém: Princesa encara o Remo de olho na vaga para as semifinais da Copa Verde

Tubarão de Manacapuru precisa marcar dois gols na casa do adversário, em jogo neste sábado (21), às 15h, para seguir vivo na competição 21/03/2015 às 12:18
Show 1
Princesa do Solimões vem de um empate com o Figueirense pela Copa do Brasil
Felipe de Paula Manaus

Em busca da sonhada vaga nas semifinais da Copa Verde, o Princesa do Solimões encara o Clube do Remo, neste sábado (21), às 15h, no estádio do Mangueirão, em Belém do Pará. O time perdeu o jogo de ida em Manaus por 2 a 1, que dá vantagem ao Leão paraense de perder por até 1 a 0 para se classificar. O jogo será transmitido ao vivo pelo canal Esporte Interativo.

O Remo joga com três desfalques: o zagueiro Max, o lateral-esquerdo Alex Ruan e o meia Bismarck, todos lesionados. Jadilson deve substituir Alex Ruan pela lateral direita. No meio de campo, o técnico Zé Teodoro deve usar o Fabrício, mas pode optar por Ratinho, que não vinha sendo relacionado, mas também é cotado pela imprensa paraense.

No Princesa, a baixa é a do lateral direito Lei, que não viajou com o time devido a uma lesão na panturrilha, e deve ser substituído por Leandro. O volante Delcinei e o atacante Nando viajaram, mas sentem dores e dificilmente terão condição de jogo.

No terceiro de três jogos seguidos em apenas uma semana, a condição física é a principal preocupação do técnico Zé Marco.

“O que mais me preocupa é a questão física. Jogamos sábado contra o Rio Negro, quarta contra o Figueirense”, disse o treinador, que não tem exigido dos atletas mais do que repouso e concentração para evitar erros individuais, segundo ele responsáveis pelos gols sofridos pelo time de Manacapuru nos últimos jogos.

Destaque do Tubarão na temporada, Léo Paraíba concorda com o “professor”. “Se a gente conseguir manter o ritmo, e não ter aquela bobeira, acho que conseguimos fazer gols nele sim. Em todo os jogos temos conseguido marcar”, pontuou Paraíba, que acredita que o time do Remo vai se fechar mais e esperar o contra-ataque.

Zé Marco pensa diferente. “Eu acredito que eles venham pra cima, pelo fator casa, fator torcida. Por isso buscaremos nos organizar e trabalhar para estar o mais inteiro possível”, disse o treinador.


"Vale tudo", diz Léo ParaíbaHabilidoso, o meia-atacante Léo Paraíba é daqueles jogadores que tem a capacidade de abrir espaços na defesa quando de um jogo truncado. O jogador, que diz dividir a responsabilidade com o grupo, não nega, no entanto, que vale tudo. Até caneta? “(Dar caneta) não é desprezar o adversário). Se for possível, tem que dar mesmo”, diz.

Bola parada: bom ou ruim?
Boa parte dos gols do Princesa na temporada são marcados de bola parada. Tanto que o zagueiro Gilson, de 1,90m e boa impulsão, é o artilheiro do time na Copa Verde, com dois gols, e ainda maior marcador do Tubarão até aqui em 2015, com quatro no total.

Se para alguns os gols de bola parada mostrariam a dificuldade do Princesa em marcar em jogadas de criação, para o técnico do Princesa, eles são apenas um recursos a mais, indispensável aos objetivos da equipe.

“É bom também. A gente tem feito gols de bola parada, mas está bem dividido. Contra o Rio Negro fizemos três de bola rolando. O importante é que a bola parada também tem entrado. Num duelo de tanto equilíbrio, uma bola parada pode resolver a nosso favor, como resolver contra, tanto a ofensiva quanto a defensiva. Faz parte do jogo isso. O importante é que faça o gol, independente de que forma’, disse o treinador.

Ficha Técnica

Remo: Fabiano; George Lucas, Ciro Sena, Yan e Jadilson; Alberto, Dadá, Felipe Macena e Eduardo; Rony e Caça-Rato. Técnico: Zé Teodoro

Princesa: Rascifran; Leandro, Deurick, Gilson e Jayme; Amaral, Delcinei, Douglas e Josy; Léo Paraíba e Sandro Goaiano. Técnico: Zé Marco

Estádio: Mangueirão, em Belém-PA

Horário: 15 horas de Manaus

Árbitro: Alisson Sidnei Furtado (TO)

Motivo: Quartas de final da Copa Verde

Publicidade
Publicidade