Sábado, 15 de Maio de 2021
Retorno aos gramados

Elas estão de volta: times de São Gabriel realizam amistoso após diminuição nos casos de covid

Jogo aconteceu na Ilha Camanaus, próxima à sede do município, onde toda população adulta já foi vacinada contra covid



064c5d2f-51e6-4915-8442-6e10a343b4eb_9FB18953-A318-46E6-841E-26934B031BCF.jpg Foto: Arquivo pessoal
02/05/2021 às 10:47

No último sábado (24), a bola rolou em São Gabriel da Cachoeira (distante a 852km de Manaus) após bastante tempo de paralisação. A partida que marcou o retorno das mulheres para o campo foi entre o time das 100tenárias (Centenárias) e a equipe da Ilha de Duraka, região próxima à São Gabriel. O duelo terminou com o placar de 2 a 1 para as 100tenárias.

O jogo aconteceu na Ilha de Camanaus (ou Duraka), com o time da região. O time pegou um  ônibus e, para chegar à Ilha, precisou atravessar de barco. Ao todo, elas levaram 1h para chegar no local da partida. A realização do jogo só foi possível devido à vacinação na Ilha.

De acordo com Ismael Brasil Gonçalves, que é um dos integrantes do time de Camanaus e agente de saúde, toda a comunidade – composta por 280 pessoas e 45 famílias – acima dos 18 anos já foi vacinada contra a covid, o que zerou os casos da doença.

“Pra gente que mexe com esportes aqui na Ilha, nos sentimos gratificados vendo as meninas jogarem, as pessoas ficarem na beira do campo torcendo depois de praticamente um ano parado. Para isso acontecer, pedimos a autorização da comunidade, do capitão da comunidade – como eles chamam o líder comunitário – e foi liberado, já que todo mundo tomou a vacina da Covid aqui no Baixo Rio Negro. Fomos uma das primeiras comunidades a ser vacinadas, então aliviaram os casos. Hoje, todo mundo acima de 18 anos está vacinado”, contou.

Reencontro

Por conta da pandemia do novo coronavírus, os jogos da Liga Feminina do município e amistosos foram suspensos – por decreto, a sede do município ainda não pode receber jogos – como medida de segurança e o jogo do fim de semana foi o retorno às atividades de mulheres que formam as equipes. O 100tenárias reúne mulheres a partir dos 30 anos que, além de praticar esporte, se unem para superar problemas, buscar o espaço das mulheres, ter momentos de lazer e, ainda, valorizar a cultura indígena.

Ao longo do período de pandemia, as equipes têmr realizado diversas ações para amenizar o sofrimento de quem está sendo impactado pela doença.

De acordo com Edinéia Teles, uma das líderes do movimento, o amistoso foi importante para que as mulheres compartilhassem experiências e se apoiassem umas nas outras. Durante o ano passado, por exemplo, elas ajudaram na arrecadação de alimentos e produtos de limpeza para habitantes do município e áreas próximas.

“Em tempos de pandemia, com a retomada das atividades, as mulheres puderam voltar ao campo e encontraram, entre as quatro linhas, um espaço para superar problemas e trocar experiências vividas nos piores momentos da crise provocada pela Covid-19. Também buscamos fortalecer o espaço das mulheres. Muitas das atletas passam por problemas de saúde, como dores no joelho ou tornozelo. Outras querem vencer o sedentarismo ou voltar a praticar esporte depois de terem filho”, explicou.

A autora dos dois gols do 100tenárias foi Joelma Solano, que faz parte do time há dois anos e já tem o costume de representar o município de São Gabriel nos jogos da equipe local, contra seleções de Barcelos e Santa Isabel do Rio Negro, por exemplo.

“A ida para Ilha de Duraka foi maravilhosa, ainda mais por fazer os gols da nossa vitória. Não sabes o quanto é a emoção de ser protagonista do jogo. Mas com vitória ou não, sempre vamos ser essa turma das 100tenáreas que amam esporte. Orgulho de fazer parte disso. Teve momentos que tivemos que parar, logo que a pandemia chegou ao nosso município, fizemos isolamento total. O medo consumia, até de sair pela porta de casa, mas graças a Deus com cuidados, remédios caseiros, remédio dos brancos, conseguimos combater. Ainda não acabou, com certeza estamos nos prevenindo, as vacinas estão chegando, mas estamos vivendo”, contou Joelma que é dona de casa e mãe de duas meninas.

Já Raniely Borges, do time de Camanaus, explicou a sensação de entrar em campo após tanto tempo parada.

“Estávamos ansiosas para voltar a jogar bola. Nós, jovens, ficamos muito felizes em acalmar a doença para voltar a jogar novamente e, graças a Deus, deu tudo certo e estamos aí firmes e fortes”, comemorou.

A Ilha possui um time de veteranas chamado Camanaus, que existe há 20 anos. Além disso, possui um time feminino chamado Juventus, formado por mulheres mais jovens e que conta com o apoio de uma liga esportiva da comunidade.

Cautela

Apesar do otimismo gerado em torno do amistoso, as atividades da Liga de São Gabriel ainda não tem data para retornar. Além de um decreto municipal que proíbe utilização dos campos e a situação da covid-19 no município, a presidente da Liga Erlange Figueiredo, explica que ainda há detalhes burocráticos para resolver e a previsão é que a competição volte apenas no segundo semestre.

“Assumi recentemente a Liga e encontramos ela num verdadeiro abandono e desordem com relação às ações legais da mesma. No momento estamos numa fase de regularização e orientando os clubes a fazer o mesmo, pois clube nenhum possui seus estatutos registrados em cartório e, consequentemente, nem filiados a Liga estão. Então para se ter um Campeonato tomamos esse primeiro semestre para todas essas regularizações. Estamos em diálogos com os órgãos competentes buscando parcerias pois a Liga apesar de se intitular independente por sua vez depende inteiramente dessas parcerias. Desta forma vamos caminhando para que possamos realizar um campeonato bem organizado”, comentou.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.