Publicidade
Esportes
FUTEBOL FEMININO

Atacante do Iranduba, Elisa espera escrever um capítulo vitorioso em 2018

Em três edições disputadas do Campeonato Amazonense Feminino, a atacante Elisa tem muita história para contar 02/10/2018 às 17:43 - Atualizado em 03/10/2018 às 08:35
Show spo wa r.65 09806ac3 fc8e 441b 852b 6baae1fb9d1d
Foto: Winnetou Almeida
Camila Leonel Manaus (AM)

Hexa campeão amazonense, o Iranduba faz os últimos ajustes antes da estreia de quinta-feira. A equipe busca fazer história e conquistar no hepta na competição. Uma das jogadoras que quer escrever mais um capítulo vitorioso nessa história é a atacante Elisa Lopes. Ela participou de três dos seis títulos do Hulk e algumas delas com capítulos peculiares e que não sairão da memória dos que acompanham o futebol feminino local.

No ano de 2017, por exemplo, o Iranduba tinha como maior oponente o Manaus, que era composto basicamente de ex-jogadoras do clube. No primeiro jogo da final, as duas equipes empataram em 1 a 1. A partir daí, começou a pipocar polêmicas nas redes sociais e no próprio estádio no dia do segundo jogo. Elisa respondeu com gol, um título e uma pitada de provocação.

“O pessoal vivia me chamando de McDonalds, peguei e tirei a camisa após o gol para mostrar para eles o McDonalds. Eu sei o porte que consigo jogar ou não e quando entro em campo dou o meu melhor”, relembra a jogadora ao falar do jogo do título de 2016 que foi vencido por 4 a 0.

No ano seguinte, mais um título e mais uma história para relembrar: a do abacaxi. Apesar do episódio não ter envolvido diretamente a jogadora, ela foi uma das que saboreou o abacaxi da vitória após a conquista do hexa. No primeiro jogo, o presidente do 3B jogou um abacaxi no banco de reservas do Iranduba após a vitória na abertura da competição .

Para este ano, Elisa diz que espera um campeonato mais tranquilo. “Espero que não tenha essas tretas e que a gente jogue normal”, conta. E para jogar normal, o time segue treinando sério. Na manhã de ontem, um trabalho coletivo e com bolas paradas aconteceu no CT Barbosa FIlho. Treino sério para o que a jogadora chama de campeonato complicado.

“Todo mundo quer ganhar, né. É um campeonato curto, mas muito difícil. Por isso o treinador vem conversando com a gente para pôr em prática tudo que a gente vem treinando. Temos que ter cuidado com lesões por causa da Libertadores que vem aí, mas o Amazonense é sim um campeonato bem importante para nós”, finalizou a jogadora.

O campeonato começa na quinta-feira (4), às 18h, com 3B e CDC Manicoré, às 20h tem Iranduba e Atlético Amazonense. As duas partidas acontecem no estádio Ismael Benigno, Zona Oeste de Manaus.

Publicidade
Publicidade