Publicidade
Esportes
PARTIDA

Sob pressão, Valverde do Nacional acredita em bom resultado contra o Rio Negro

Arqueiro nacionalino falou sobre a preparação da equipe e a pressão que o time vem enfrentando por conta da campanha irregular e risco de rebaixamento. Partida acontece neste sábado (24), no estádio Carlos Zamith 24/03/2018 às 08:52
Show goleiro 2
O goleiro espera acabar com os três jogos de invencibilidade do Rio Negro (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Camila Leonel Manaus (AM)

O Nacional conseguiu se classificar para as quartas de final do Campeonato Amazonense e a pressão passou de fase junto com o time nacionalino. Com uma campanha irregular, desclassificação nas quartas de final do primeiro turno e até risco de rebaixamento, o goleiro Marcelo Valverde avalia que o time jogou com “a faca no pescoço” e isso pode ter ajudado a deixar o Nacional mais cascudo para o duelo contra o Rio Negro neste sábado (24), às 15h no estádio Carlos Zamith, Zona Leste de Manaus.

“Para esse jogo a gente vai continuar se preparando bem como o time vem fazendo. Estamos evoluindo nos últimos jogos. Nesse último (contra o Princesa do Solimões) mostramos um bom futebol, mostramos que o trabalho feito está surtindo resultado”. Apesar dos resultados, na última partida, o time saiu sob críticas de alguns torcedores. O próprio Valverde foi um dos alvos da torcida, mas ele se diz tranquilo quanto a isso e espera que no final possa dar alegrias aos torcedores.

“A gente sabe como é o torcedor. É muito passional, mas não é algo que me mexe comigo. Claro que a gente se preocupa porque queremos dar alegria para o torcedor, mas às vezes tem um ou outro que não sabe nem o que fala, mas isso é normal. Creio que esses mesmos torcedores que criticam vão nos aplaudir no final”, conta o goleiro que se diz acostumado com a pressão. “Todos os jogos nesse campeonato foram importantes para a gente até porque a gente jogou todos os jogos, digamos assim, com a faca no pescoço”.

Mas para ser aplaudido na final, a equipe precisa passar por Rio Negro, nas quartas, e pelo Princesa na semifinal. Ciente dos desafios, o clube segue trabalhando para se manter vivo no Barezão. “A gente está treinando bastante e eu acredito que o resultado positivo virá no próximo jogo”, disse o goleiro que espera acabar com os três jogos de invencibilidade do Rio Negro.  

“Acho que cada jogo é um jogo e a gente não se preocupa com tabu. Eu cheguei com esse tabu, mas um dos poucos times que a gente encaixou foi contra o Rio Negro, mas estamos tranquilos e confiantes num bom jogo e que vamos acabar com essa história de invencibilidade deles”, completou.

Publicidade
Publicidade