Quarta-feira, 30 de Setembro de 2020
DOMINANTE

Em corrida com três largadas, Hamilton vence o GP da Toscana

Esta foi a sexta vez que Hamilton venceu em nove provas disputadas nesta temporada, elevando para 90 seu número de vitórias na categoria



000_8PW2PG_68A8788E-CD44-45F8-92D4-4BFF225776CB.jpg (Foto: AFP)
News thumb afp d084093c bf21 4ede 853c 0cfb6068260d AFP
13/09/2020 às 14:43

Foram necessárias três largadas, mas o resultado final não foi muito diferente do que tem acontecido nesta temporada da Fórmula 1, com o inglês Lewis Hamilton vencendo o Grande Prêmio da Toscana, disputado circuito de Mugello e marcado por muitos acidentes. 

Na prova que celebrava o milésimo GP da Ferrari, os carros da equipe italiana ficaram mais uma vez longe da três primeiras posições, completadas pelo finlandês Valtteri Bottas, e o tailandês Alexander Albon, da Red Bull, que subiu ao pódio pela primeira vez na carreira.



O australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull, chegou em quarto, seguido pelo mexicano Sergio Perez, da Racing Point, e o britânico Lando Norris, da McLaren.

Esta foi a sexta vez que Hamilton venceu em nove provas disputadas nesta temporada, elevando para 90 seu número de vitórias na categoria, marca que o deixa a apenas uma de igualar o recorde do alemão Michael Schumacher.

Ao subir ao pódio pela 69ª vez pilotando uma Mercedes, o atual campeão da categoria voltou a protestar contra o racismo e a violência policial contra os negros, ao vestir uma camisa com uma mensagem exigindo a prisão dos policiais que mataram a jovem Breonna Taylor, nos Estados Unidos, em março deste ano.

Com esta vitória na Itália, o hexacampeão mundial amplia sua vantagem na liderança do campeonato, chegando a 190 pontos, 55 a mais que o segundo colocado Bottas, que está à frente do holandês Max Verstappen (110 pontos), da Red Bull, que foi um dos muitos pilotos a abandonar a corrida deste domingo em Mugello por conta dos acidentes.

Bandeiras vermelhas -

Mugello, circuito de propriedade da Ferrari e utilizado normalmente para provas de motovelocidade, foi incluído de urgência no calendário da F1 devido às alterações impostas este ano pela pandemia da covid-19.

E talvez por conta traçado mais adaptado às motos, foram registrados os incidentes que provocaram as duas relargadas.

O primeiro dos incidentes envolveu vários carros, incluindo o de Verstappen, que largou na terceira posição. O holandês, que perdeu potência na saída e acabou ficando para trás. 

Pierre Gasly, 16º no grid, se viu em um 'sanduíche' entre o Alfa Romeo de Kimi Raikkonen e o Haas de Romain Grosjean. 

Esse incidente levou Verstappen e Gasly para fora da pista e ambos abandonaram a corrida. 

Quase no mesmo momento, Vettel bateu na McLaren de Carlos Sainz Jr, que girou na pista. 

Depois de oito voltas caóticas, com o safety car na pista, foi dada uma nova largada, na qual Bottas ultrapassou Hamilton. 

Mas na nona volta, quando o safety car estava sendo retirado, o finlandês optou por não acelerar, causando um mal-entendido entre os outros pilotos, que foi acompanhado por outro acidente múltiplo e vários abandonos. 

Após essa interrupção, uma segunda relargada foi feita, faltando 51 voltas para o final. E Hamilton imediatamente assumiu a liderança. 

Na volta 43, quando a batalha parecia acirrada pelo pódio, a violenta saída da pista de Lance Stroll (Racing Point) causou nova bandeira vermelha. 

No reinício, Albon ultrapassou Ricciardo, e assim garantiu seu primeiro pódio na F1, e Hamilton teve tempo para marcar a volta mais rápida da prova. 

Agora, na expectativa de igualar a marca de vitória de Schumacher, Hamilton volta à pista dentro de duas semanas, no Grande Prêmio da Rússia, no circuito de Sochi. Se nenhuma surpresa acontecer, alguém duvida que o inglês não estará no topo do pódio novamente?

Classificação final do Grande Prêmio da Toscana (Itália), 9ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1, disputado neste domingo no circuito de Mugello (5,245 km):

1. Lewis Hamilton (ING/Mercedes), os 309,455 km em 2h19:35.060

2. Valtteri Bottas (FIN/Mercedes) a 4.880

3. Alexander Albon (TAI/Red Bull-Honda) a 8.064

4. Daniel Ricciardo (AUS/Renault) a 10.417

5. Sergio Pérez (MEX/Racing Point-Mercedes) a 15.650

6. Lando Norris (GBR/McLaren-Renault) a 18.883

7. Daniil Kvyat (RUS/AlphaTauri-Honda) a 21.756

8. Charles Leclerc (MON/Ferrari) a 28.345

9. Kimi Räikkönen (FIN/Alfa Romeo Racing-Ferrari) a 29.770

10. Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) a 29.983

11. George Russell (GBR/Williams-Mercedes) a 32.404

12. Romain Grosjean (FRA/Haas-Ferrari) a 42.036

Volta mais rápida: Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 1:18.833 na volta  58 (média: 269,019 km/h)


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.