Terça-feira, 22 de Junho de 2021
UFC 261

Em desafio mais importante da carreira, Jéssica Bate-Estaca disputa cinturão contra Valentina Shevchenko

Esta será a quarta disputa de cinturão na carreira da brasileira, que tenta conquistar o feito de ganhar dois títulos em categorias diferentes



Jessica_Bate-Estaca_DED10B61-02D0-4B1E-A9B9-5403AFF5BBD8.jfif Foto: Getty Images
24/04/2021 às 09:36

Experiência e estratégia. Essas são as armas que a paranaense Jéssica Bate-Estaca pretende usar neste sábado (24), no UFC 261, quando disputará o cinturão do peso mosca contra Valentina Shevchenko, do Quirguistão. Se vencer, a brasileira pode ser a segunda lutadora a conquistar dois cinturões em pesos diferentes – Jéssica é ex-campeã da categoria peso-palha – e 'subir de prateleira' no hall de lutadoras da maior franquia de MMA do mundo.

Mesmo sendo apenas a segunda luta na categoria até 57kg, a lutadora de 29 anos conta que está se sentindo muito bem preparada para o desafio que a aguarda. Esta é a terceira categoria que Jéssica atua no UFC (ela já lutou no peso palha, peso mosca e peso galo) e essa transição entre categorias ajudou a brasileira a ser mais versátil dentro do octógono.



“Acho que a quantidade de lutas na carreira acaba tornando a gente mais casca grossa. Acho que essa troca de divisões que eu fiz foi muito boa, porque eu peguei atletas de todos os tipos: mais lentas, nos 61kg, mais rápidas e maiores nos 52kg, bem mais rápidas, bem mais versáteis e que defendiam quedas melhores. Agora, nos 57kg, é basicamente a mescla das duas categorias e, pra mim, é muito bom ter essa experiência de ter lutado com várias mulheres incríveis, em todas as categorias. Quanto mais experiência você tem, mais tranquilo você fica. Claro que, com uma adversária como a Valentina, é sempre mais complicado um pouco, mas é sempre bom ter essa história e experiência”, disse em entrevista coletiva.

Mesmo sendo a segunda luta na categoria, Jéssica se sente preparada para o desafio. | Foto: Getty Images

Toda essa experiência será colocada à prova contra uma das melhores lutadoras do Ultimate: Valentina Shevchenko, que defende o cinturão pela quarta vez e ostenta uma sequência de seis lutas de invencibilidade. Com o currículo da adversária, Bate Estaca já considera esse como o maior desafio da carreira.

“A Valentina é um dos maiores nomes do UFC e tem sido uma campeã avassaladora na categoria. Eu sempre falo que ela é uma das melhores e eu queria lutar com a melhor. Vai ser a luta mais dura da minha carreira e eu espero ser a luta mais dura da carreira dela também”.

Contra uma adversária de envergadura maior – Valentina tem 1.65m de altura e 168cm de envergadura, contra 1.55m da brasileira, que tem 157cm de alcance –, Jéssica espera  diminuir a distância e levar a luta para o chão, onde é a sua especialidade.

“A estratégia na verdade é tentar fazer um jogo de grade. Como eu tenho uma trocação boa e ela também tem, acredito que a trocação dela é muito melhor que a minha, então o jogo certo é tentar minar um pouco a velocidade dela e destruir a potência de golpe. Pra fazer isso, tem que usar a grade. Então a estratégia é usar a grade, colocar a luta pra baixo, trabalhar o 'ground and pound' – quando se derruba e bate no adversário no chão – e quem sabe no segundo, terceiro ou até quarto round, a luta aconteça em pé e saia o nocaute. Até o momento a estratégia é levar pra grade e colocar a luta no chão”, detalhou.

Além do cinturão, Jéssica espera que a vitória traga a possibilidade de subir degraus mais altos na franquia, como voltar a enfrentar Rose Namajunas ou Weili Zhang (que disputam o cinturão dos palhas também neste sábado).

“Acredito que dependendo da forma que se ganhe, isso te coloca muito lá em cima. Eu acho que seria mais uma conquista gigantesca da minha vida. Acho que como uma lutadora que ganhou em três categorias diferentes, me tornar campeã me coloca dentro da história de novo e acho que a organização vai me ver com olhos diferentes. Quem sabe o UFC não me dá a oportunidade de ter uma revanche contra a Weili Zhang ou com a Rose, dependendo de quem for a campeã. Eu quero sim, no futuro, pedir uma oportunidade para lutar por um cinturão e, se eu vencer a Shevchenko e me tornar campeã, posso ter direito de pedir alguma coisa a mais”.

UFC 161
UFC 261
24 de abril de 2021, em Jacksonville (EUA)

CARD PRINCIPAL (22h, horário de Manaus):

Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Jorge Masvidal
Peso-palha: Weili Zhang x Rose Namajunas
Peso-mosca: Valentina Shevchenko x Jéssica Bate-Estaca
Peso-médio: Uriah Hall x Chris Weidman
Peso-meio-pesado: Anthony Smith x Jimmy Crute

CARD PRELIMINAR (18h15, horário de Manaus):

Peso-meio-médio: Alex Cowboy x Randy Brown
Peso-médio: Karl Roberson x Brendan Allen
Peso-meio-médio: Dwight Grant x Stefan Sekulic
Peso-galo: Danaa Batgerel x Kevin Natividad
Peso-mosca: Aori Qileng x Jeff Molina
Peso-leve: Rodrigo Vargas x Rong Zhu
Peso-palha: Ariane Sorriso x Na Liang
Peso-leve: Tristan Connelly x Pat Sabatini


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.