Terça-feira, 03 de Agosto de 2021
Disputa acirrada

Em jogo de seis gols, Fast e Ypiranga-AP empatam pela estreia na Série D

No estádio da Colina, Tricolor de Aço empatou em 3 a 3 com equipe amapaense, pela primeira rodada da quarta divisão nacional



895995BD-D972-47B2-92F7-E8F4691DE88E_A7D9D591-F8A6-4082-AA1A-37F51A6BC445.jpeg Foto: João Normando/FAF
05/06/2021 às 19:07

Na estreia pelo Campeonato Brasileiro Série D, o Fast empatou com o Ypiranga-AP pelo placar de 3 a 3. Os gols do Rolo Compressor foram feitos por Alexandre, Felipe e Rodrigo, enquanto Pedro, Mata-Boi e Helson marcaram para o Clube da Torre. 

O próximo desafio do Fast será no sábado (12), contra a equipe do São Raimundo-RR, no Estádio Flamarion Vasconcelos, em Boa Vista, às 16h. Já o Ypiranga joga em casa contra o Atlético-AC, no domingo (13), às 17h. 



Movimentado

O primeiro tempo foi bastante agitado, com as equipe do Fast e do Ypiranga comandando o jogo em diferentes momentos, sabendo dar trabalho para o adversário. Em meio a algumas trocas de passes, não demorou muito para a bola comandada pelo Rolo Compressor achar o fundo das redes. Logo aos 5 minutos, após cobrança de falta que ficou na barreira e algumas jogadas depois, a bola sobrou limpa para Alexandre mandar para o fundo da rede do Ypiranga. 

O Clube da Torre reagiu rapidamente e, com 7 minutos, Elsinho cobrou falta na intermediária, a bola passou por todo mundo e encontrou Pedro, que estava sem marcação e fez o gol com tranquilidade. O Tricolor de Aço não deixou barato e foi em busca de ficar à frente novamente. Aos 9, Felipe cabeceou para o gol sem muito esforço, após cobrança de escanteio. 

Após esses primeiros dez minutos agitados, o Fast fazia jus ao placar e dominava a partida, atacando e trocando passes com facilidade, já o Ypiranga estava ofuscado e pouco atacava. O Tricolor ainda teve algumas oportunidades de ampliar o placar, como aos doze, quando Paulo pegou uma sobra de bola e arrumou para Alexandre - que estava na área -, cara a cara com o goleiro do Ypiranga. Porém, teve a infelicidade de errar o chute. 

Na volta da parada técnica, os jogadores do time amapaense estavam mais atentos e correram atrás do prejuízo. Aos 38, Mata-Boi recebeu lançamento e correu para a grande área, Leandro até saiu para defender, mas o camisa 9 já tinha chutado para o fundo da rede. A virada veio aos 41, em cobrança de pênalti feita por Helson. Leandro mais uma vez foi na direção da bola mas não obteve sucesso. 

Nos últimos segundos na primeira etapa, Paulo bem que tentou empatar para o Fast, mas a bola foi tirada em cima da linha, com o primeiro tempo terminando Fast 2x3 Ypiranga. 

Tudo igual

O segundo tempo começou sem enrolação. Logo no primeiro minuto, Rossini mandou para a pequena área e a bola encontrou a cabeça de Felipe, que perdeu uma grande oportunidade mandando na trave. Aos 7, outra chance perdida. Flamel cobrou falta, a defesa não soube afastar e a bola foi direto para Kaio, que também não soube dominar a jogada e deu um chutão para fora. A essa altura, o Fast tinha boas chances com as bolas na área, porém a finalização era um problema. 

Insistindo nas investidas, o Tricolor de Aço foi recompensado. Aos 31, Rossini recebeu passe dentro da grande área e logo cruzou para Rodrigo, que estava na boca do gol e, mesmo com marcação em cima, marcou para o Rolo Compressor e empatou o jogo. 

O jogo seguiu sem muitas emoções, porém com bastantes cartões amarelos e substituições. Aos 46, Paulo tentou dar o gol de vitória para o Fast, cabeceando a bola vinda do escanteio e, com sorte para o Ypiranga, a zaga conseguiu tirar. O jogo seguiu nos acréscimos e terminou empatado em 3 a 3.

Alice Pereira
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.