Publicidade
Esportes
Galo na luta

Em meio a problemas, Rio Negro sofre para chegar à decisão do Amazonense

Aderbal Lana e o Rio Negro acumulam dificuldades para se manterem fortes na batalha contra o Fast por vaga na final do Amazonense 19/10/2016 às 10:25 - Atualizado em 19/10/2016 às 11:27
Show kokoa
Treinador bate o pé e diz que não aceita jogar às 18h e pede ajuda do torcedor rionegrino (Foto: Antônio Lima)
Denir Simplício Manaus (AM)

Elenco reduzido, jogadores contundidos, salários atrasados, pouca estrututa e suspensão imposta pelo TJD (por falta de pagamento das taxas de arbitragem), esses são apenas alguns dos problemas que o técnico Aderbal Lana enfrenta antes da partida que pode colocar o Rio Negro numa final de Campeonato Amazonense após 15 anos.

Como se não bastassem os revezes, ontem pela manhã, o ônibus que levaria a equipe para treinar no estádio do Sesi simplesmente não apareceu e o elenco teve de treinar no ginásio do clube. 

Mas tudo isso não preocupa tanto o técnico Aderbal Lana quanto ter de jogar a preliminar de Nacional x Princesa do Solimões. Profundamente indignado com o fato de ter de entrar em campo às 18h, na rodada dupla de hoje, na Arena da Amazônia, o treinador esperava até o início da noite de ontem, uma decisão de uma liminar apresentada por torcedores do clube para o desmembramento da rodada.

“Estamos com salários atrasados. Queremos a presença do nosso torcedor pra fazer uma renda nossa. Tem quatro campos na cidade pra fazer dois jogos”, pontuou Lana, explicando a proposta da liminar. 

“A gente não está propondo mudar local de jogo. O que a gente tá propondo é o efeito suspensivo na rodada. Porque a tabela marca a seminal para o dia 22 (outubro), às 20h, e a final para o dia 29. Eles (FAF) mudaram tudo, eu tenho a tabela que eu peguei na Federação no dia 26 de agosto e assim, eles estão ferindo o Código de Defesa do Consumidor, e nós estamos batendo em cima disso”, disse o treinador do Rio Negro.

“Pode ser rodada dupla manhã (hoje), mas estou batendo o pé que eu não quero. Porque só eu sei o que estou passando financeiramente com esses jogadores lá. Não quero criar polêmica, mas é isso que acho certo”, finalizou o treinador.

Publicidade
Publicidade