Quarta-feira, 28 de Julho de 2021
Jogo Nervoso

Emoção até o fim: Princesa marca nos acréscimos e avança às semifinais do Barezão

No Gilbertão, Espiga abriu o marcador para o Penarol, mas Jonas garantiu a festa do time da casa. O Tubarão passa com 3 a 2 no agregado



WhatsApp_Image_2021-04-27_at_18.49.16_F16C69F7-3DD0-4556-A530-108635A41A63.jpeg Foto: Arlesson Sicsú
27/04/2021 às 18:47

Em jogo nervoso, Princesa e Penarol ficaram no empate em 1 a 1 nesta terça-feira (27), no Gilbertão. Pelo jogo de volta das quartas de final do Barezão, Lucas Espiga abriu o placar para o Leão da Velha Serpa - aos 45 do primeiro tempo - e Jonas, nos acréscimos, deixou tudo igual. 

Com a vitória por 2 a 1 na partida de ida, o Tubarão se classificou para as semifinais com 3 a 2 no agregado e enfrenta o São Raimundo na próxima fase. Dono de melhor campanha em relação ao Tufão, o time de Manacapuru joga novamente com a vantagem do empate no placar agregado. 



Chances perdidas

O jogo começou morno, em um ritmo menor que o esperado. O Princesa conseguiu chegar mais ao ataque do que o adversário, mas com dificuldade de matar as jogadas. Aos 5, Luciano arriscou um balaço de fora da área, mas passou pelo lado direito do gol. Aos 12, foi a vez de Guilherme Lima arriscar da meia lua, mas também não acertou o alvo. 

O Leão teve boa chance aos 27 minutos, com Rafael Franco cobrando falta e Lucas Espiga testando de cabeça, mas a bola foi fraca, para fácil defesa de Rascifran. Aos 33, Roni arriscou chute na grande área, mas não pegou bem na bola. 

Aos 41 o Princesa voltou a chegar com mais perigo. Luciano bateu falta direto, mas Pedro Henrique, em dois tempos, defendeu. Aos 44, Hayllan ainda teve chance pela direita, mas foi por cima do gol. 

Princípio de emoção

Já que o Princesa não abriu o placar, o Penarol não perdoou. Aos 45, Rafael Franco serviu Henrique Bala pela direita da grande área. O camisa 10 cruzou rasteiro, na vertical, para Lucas Espiga. Pertinho da pequena área, o camisa 9 completou facilmente para o fundo do gol. 

Os times voltaram para a segunda etapa ainda com dificuldade de criação. O Tubarão continuou sendo mais ofensivo, chegando próximo do empate, mas quando não concluía bem, o arqueiro do Penarol defendia. 

Aos 11, Luciano mandou mais um chutaço de fora, mas Pedro Henrique mandou pra escanteio. O time de Manacapuru seguiu na pressão e, aos 25, Toró cruzou para a área, a bola passou por Thiaguinho e a zaga, ao tentar tirar, quase marcou contra. Aos 34, Hayllan cobrou bela falta pela esquerda e Pedro, mais uma vez, foi bem na defesa. 

Gol do alívio

Com seis minutos de acréscimo, o final foi o famoso "teste para cardíaco". Com as várias chances perdidas durante o tempo regulamentar, Lana focou em proteger o sistema defensivo e explorar os contra-ataques. Já o Penarol, que precisava vencer por dois gols de diferença para avançar, adiantou as linhas e tentou sufocar o Tubarão. 

Aos 49 minutos, veio a jogada que premiou a estratégia de Aderbal Lana. No "pé de ferro", Hayllan ganhou de Jaílton - último jogador da defesa adversária - na risca do meio campo, pelo lado direito. Completamente livre, o camisa 9 carregou até a grande área em diagonal, mas ao invés de finalizar, serviu Jonas pelo lado esquerdo e o camisa 11 não desperdiçou. 1 a 1, festa no Gilbertão e Princesa classificado para as semifinais.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.