OLIMPÍADAS

Especialista em Olimpíadas, Roberto Gesta analisa adiamento dos Jogos de Tóquio

Amazonense é ex-presidente da Confederação Brasileira de Atletismo e é atual membro da Associação Internacional de Atletismo

Leonardo Sena
25/03/2020 às 15:19.
Atualizado em 10/03/2022 às 10:28

(Foto: Divulgação)

A oficialização do que já era esperado veio nesta terça-feira (24). Por conta da pandemia global do novo coronavírus, os Jogos Olímpicos de Tóquio, que estavam marcados para iniciarem no dia 24 de julho de 2020, serão adiados para 2021. A decisão veio após uma conversa entre Shinzon Abe, primeiro-ministro do Japão, e Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI). 

O adiamento segue a movimentação de outras ligas e modalidades do mundo esportivo, que também paralisaram suas atividades pelo temor da disseminação acentuada da Covid-19. Austrália e Canadá já haviam até se posicionado contra o envio de delegações para Tóquio.

Especialista no assunto

Para saber um pouco mais dos impactos do adiamento do maior evento esportivo do mundo, o CRAQUE entrou em contato com Roberto Gesta, ex-presidente da Confederação Brasileira de Atletismo e atual membro da Associação Internacional de Atletismo. A medida, segundo o ex-dirigente esportivo, era a única possibilidade diante da dimensão do coronavírus. 

“É uma situação totalmente nova que o mundo está enfrentando. Não é somente os Jogos Olímpicos, mas no nosso cotidiano estamos precisando, quase todos, ficarmos enclausurados em casa”, destacou Roberto Gesta, que relembrou outras três situações de não realização das Olimpíadas.

“Houve o caso de cancelamento em três ocasiões: em 1916, por conta da Primeira Guerra Mundial, e em 1940 e 1944, em razão da Segunda Guerra Mundial. Agora, pela primeira vez, acontece por conta de uma pandemia global”, lamenta o amazonense de 75 anos de idade. Vale lembrar que em 1940 a edição dos Jogos também seria sediada no Japão, mas foi remanejada para a Finlândia e depois, oficialmente, cancelada.

Desta vez, embora o adiamento realoque os Jogos Olímpicos de 2020 no ano de 2021, o evento seguirá levando a marca ‘Tóquio 2020’. O COI e o Comitê Organizador do Japão mantiveram a identidade visual já usada desde 2013, quando a cidade foi escolhida como sede, para garantir que todos os produtos adquiridos não percam sua validade.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por