Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019
Craque

Estádio Carlos Zamith sofre interdição e terá de passar por obras de adequação

Praça esportiva construída há menos de um ano terá de passar por adequações estruturais para receber capacidade total de público. Enquanto as obras não iniciam, só metade do estádio será liberado para os torcedores 



1.jpg Estádio Carlos Zamith teve parte de sua capacidade reduzida por conta de uma interdição.
03/02/2015 às 21:38

O estádio Carlos Zamith, que foi construído para servir como Centro Oficial de Treinamento (COT) para as seleções que disputaram o Mundial da Fifa, em Manaus, terá sua capacidade reduzida para a disputa do Campeonato Amazonense. A notícia foi confirmada pela administradora do local, a Fundação Vila Olímpica (FVO), que recebeu laudo do Corpo de Bombeiros impedindo que as arquibancadas do setor A, localizada do lado oposto às cabines de imprensa sejam liberadas para os torcedores até que o alambrado que separa a torcida do gramado seja aumentado em pelo menos mais um metro de altura.

Com a decisão a praça esportiva, que tem capacidade para 5 mil torcedores, só poderá receber em suas dependências a metade deste montante, ou seja, 2,5 mil pessoas. Segundo a FVO, a construtora do estádio já foi contatada e em breve o problema será resolvido. Acontece que no dia 28 deste mês o estádio já tem partida marcada entre Manaus FC e Fast Club pela segunda rodada do Estadual e a obra poderia não ficar pronta no tempo hábil.  



O laudo apresentado pelo Corpo de Bombeiros interditou a metade do estádio que custou quase R$ 15 milhões aos cofres públicos. É que as arquibancadas do lado direito do local foram construídas no mesmo nível do campo e podem ser facilmente ultrapassadas causando uma invasão iminente do gramado. A situação, inclusive, já ocorreu em um treino aberto do Flamengo no dia 24 de outubro passado. Na ocasião, o Rubro-Negro carioca se preparava para o confronto contra o Botafogo e cerca de 3,5 mil torcedores compareceram ao local para prestigiar a equipe.

A empolgação da torcida foi tamanha que o gramado foi invadido por centenas de pessoas e o coletivo teve de ser cancelado. O treinador Vanderlei Luxemburgo cobrou as autoridades pela falta de segurança no local e chegou a afirmar que estava satisfeito por não ter ocorrido nenhuma tragédia naquele dia.

Questionado sobre o assunto o diretor de futebol da Federação Amazonense de Futebol (FAF), Ivan Guimarães, informou que a situação pode ser facilmente resolvida com o apoio da Polícia Militar. “Vamos conversar com a PM. Acho que a situação pode ser facilmente resolvida. Bastaria colocar um policial a cada dois metros de distância de frente para as arquibancadas que o problema seria sanado”, explicou Guimarães.

O diretor da FAF informou que depende de uma reunião entre a Federação e o Comando da Polícia Militar para resolver a questão. “Vai depender deles (PM). O que eles resolverem nós vamos acatar. Se for pra utilizar somente a metade do estádio, é isso o que vamos fazer”, finalizou o dirigente.

O estádio Carlos Zamith – o Zamithão, como está sendo chamado, será utilizado em 18 oportunidades, segundo a tabela do Campeonato Amazonense de 2015. A maioria dos confrontos marcados para a praça esportiva tem o Manaus FC como mandante. A outra equipe que mais utilizará o local é o time do Iranduba da Amazônia, que mandará seus jogos na capital. Ambos os clubes têm, além das cores verde e branca nos uniformes, algo em comum: levam pouco público aos seus jogos. O que não impede que as autoridades tomem as devidas precauções antes, durante e depois dos jogos.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.