Publicidade
Esportes
Acidente aéreo

Ex-jogador Nando relembra convivência com amigos Danilo e Caio Júnior, da Chapecoense

Atuando pelo Cianorte-PR em 2004, o ex-atacante do Princesa do Solimões trabalhou com o goleiro e o técnico da Chapecoense mortos no trágico acidente de avião que vitimou 76 pessoas nesta segunda-feira (28) 29/11/2016 às 10:42 - Atualizado em 29/11/2016 às 11:46
Show nanddd
Goleiro Danilo e Nando eram amigos e atuaram juntos pelo Cianorte-PR quando o camisa 1 da Chape estava no início da carreira (Foto: Arquivo Pessoal)
Denir Simplício Manaus (AM)

A tragédia que vitimou quase todo o elenco da Chapecoense, na madrugada desta segunda-feira (28), e deixou o mundo do futebol de luto também atingiu em cheio um ex-jogador amazonense. Nando, ex-atacante do Princesa do Solimões, não apenas atuou nos dois duelos do time do Amazonas contra o representante catarinense, pela Copa do Brasil deste ano, mas era amigo pessoal do goleiro Danilo e do técnico Caio Júnior, da Chape.

Nando, que se aposentou do futebol com a camisa do Princesa do Solimões logo após os confrontos com a Chapecoense, trabalhou sob o comando de Caio Júnior no Cianorte-PR, em 2004, e lá, conheceu o goleiro Danilo Padilha, que na época estava no início da carreira.

"É com muito orgulho e prazer que vivi momentos de glória na minha vida. Hoje, deixei o futebol, mas ficaram lembranças como desses amigos que jogamos juntos. Fomo felizes, fomos campeões paranaenses do interior e com isso ganhamos a vaga para a Copa do Brasil com o Caio Júnior, que na época era o treinador, e com o Danilo, que na época tinha 17 anos e já era o segundo goleiro", recorda Nando emocionado com a tragédia.

Destaque aos 17 anos

Atualmente tocando seu projeto de uma escolinha de futebol para crianças e adolescentes, Nando relembra dos comentários de Caio Júnior sobre o jovem goleiro Danilo, que mesmo aos 17 anos já se destacava no gol do Cianorte-PR.

"O Danilo desde cedo já era um grande jogador. Lembro que o Caio Júnior falava que o Danilo ia se tornar um grande goleiro de Série A, de time grande e foi isso que aconteceu", comentou o ex-camisa 23 do Princesa, relembrando que o técnico e o arqueiro se encontrariam novamente na Chapecoense 12 anos depois.

"O futebol tem dessas coisas. Lá na frente se encontraram professor e aluno no mesmo time e acontece uma tragédia dessas. Convivi com essas duas pessoas e estou muito triste. O futebol está de luto. O que posso dizer é dar os pêsames aos familiares e que Deus venha confortar o coração deles", concluiu um consternado Nando.

Publicidade
Publicidade