Segunda-feira, 14 de Junho de 2021
DECISÃO

Decreto impede jogos com público e dirigente reage: 'Parece que só tem Covid nos estádios'

Vice-presidente do Manaus, Giovanni Silva, lamentou a negativa dada aos clubes e a FAF, que pediam a liberação de 20% da capacidade total da Arena da Amazônia, e que foi oficialmente negada pela FAAR



187701833_10226112784670653_3118892150114676889_n_0DCA119E-2978-484B-B574-B23D6D1D933C.jpg Foto: Janailton Falcão
18/05/2021 às 17:49

Não será desta vez que o público amazonense voltará aos estádios. Na tarde de terça-feira (18), a Fundação Amazonas de Alto Rendimento (FAAR) divulgou uma nota informando que não acatará a solicitação feita pelos clubes envolvidos na final do Barezão (Manaus e São Raimundo) e a Federação Amazonense de Futebol (FAF). As partes interessadas na presença dos torcedores tinham como objetivo a liberação de 20% da capacidade total da Arena da Amazônia.

“O Governo do Estado, por meio da Fundação Amazonas de Alto Rendimento (FAAR), informa que não acatou a solicitação feita pela Federação Amazonense de Futebol (FAF) para a liberação de 20% da capacidade de público na Arena da Amazônia para a final do Campeonato Amazonense Série A 2021, a realizar-se no próximo sábado (22/5). Informamos ainda que foi publicado o Decreto Estadual nº 43.872, de 14 de maio de 2021, com vigência no período de 17 a 30 de maio de 2021, que autorizou em seu art, 2º, inciso XXXII a prática de esporte coletivos, desde que realizado ao ar livre, SEM A PRESENÇA DE PÚBLICO, entre outras obrigações, como o cumprimento de todos os protocolos de combate a prevenção à COVID-19”, divulgou a entidade através de nota.



Lamento do Gavião

Um dos representantes do Manaus, o vice-presidente do clube, Giovanni Silva, falou ao A Crítica sobre o que achou da decisão. Para o cartola, tudo estava ‘correndo bem’ na reunião. Porém, um membro da FAAR chegou e acabou informando a notícia aos demais que, segundo Giovanni, foi como um ‘banho de água fria’.

“Ficamos sem entender nada. Lembrei daquela história onde o cara diz: Mais perdido do que bêbado no meio do trânsito. Chegou um representante da FAAR, na reunião dizendo que não tinha mais liberação de público. Aqui tudo pode: balneários, shoppings, ruas do centro da cidade, bares, circo, parque de diversões, cinemas, flutuantes, feiras, supermercados, ônibus, embarcações e outros segmentos que nem consigo lembrar agora. Todos cheios de multidões e aglomerações. Porém, me parece que só têm Covid nos estádios de futebol”, questionou o vice-presidente do Gavião do Norte.

A reportagem questionou se o clube pretende entrar com alguma última tentativa para se conseguir a liberação de público para a última partida do Campeonato Amazonense 2021. O dirigente foi direto na resposta.

“Não! Infelizmente só perde o futebol com essa decisão. Sem condições, se a torcida quiser assistir, pode por um telão dentro de um shopping da cidade que lá pode, no estádio não”, concluiu o membro da diretoria esmeraldina.

A reportagem entrou em contato com a diretoria do São Raimundo, que retornou explicando que prefere não se manifestar sobre o caso.

Jogo final

Manaus e São Raimundo jogam pela taça do Barezão 2021 neste sábado (22), às 16h05, na Arena da Amazônia, com transmissão ao vivo da TV A Crítica. O Gavião Real precisa de uma vitória simples para consagrar-se campeão Estadual e levantar o quarto título de sua história. Já o Tufão da Colina joga por um empate para conseguir a oitava taça de Amazonense em seus 102 anos de vida, pois venceu o jogo de ida por 2 a 1. Vale destacar que o empate no agregado - soma dos resultados - beneficia o Manaus, líder da primeira fase.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.