Publicidade
Esportes
Em prol do esporte

Fabrício Lima acerta, em Brasília, os detalhes para Manaus receber as heranças olímpicas

Fabrício Lima e o governador José Melo se reuniram com o Ministro do Esporte e gestores do esporte para acertar detalhes sobre o legado olímpico que virá para Manaus, e sobre o Mundial de jiu-jítsu. 22/03/2017 às 21:25
Show fullsizerender  2
A herança olímpica para Manaus e últimos ajustes para o Abu Dhabi World Pro foram os temas tratados pelo secretário Fabrício Lima, em Brasília (Foto: divulgação)
Jéssica Santos Manaus (AM)

O titular da Secretaria Estadual de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Fabrício Lima, esteve em Brasília (DF), mais precisamente no Ministério do Esporte, nesta quarta-feira, 22, para tratar de diversos assuntos que interessam o esporte no Amazonas.

O legado

No início do dia, Fabrício se reuniu com técnicos do Ministério do Esporte, acertando os detalhes para que Manaus receba como doação uma das piscinas utilizadas nas olimpíadas, tapetes e materiais de wrestling e, também, materiais de tênis de mesa e do levantamento de peso olímpico, tudo utilizado nos Jogos Rio 2016. “Estou sem palavras para agradecer por todo o apoio e consideração com o Amazonas”, afirmou Fabrício.

Fabrício se reuniu com o Ministro do Esporte e com o presidente da Confederação brasileira de Jiu-jítsu, em Brasília. (Foto:divulgação)

O secretário destaca que está muito feliz porque, segundo ele, sua gestão tem dado muito certo, já que Fabrício tem firmado parceria com o Ministério do Esporte, na busca de mais recursos para o desporto amazonense. “O Ministro do Esporte, Leonardo Picciani, está empolgado com tudo o que estamos fazendo na Vila (Olímpica), e vejo que fomos uma das cidades mais agraciadas com instalações e equipamentos do legado olímpico”, destacou.

O Amazonas vai receber, além da piscina e de blocos de partida para a natação, uma tonelada e meia de pesos para o levantamento de peso olímpico, além das estações. Para o tênis de mesa, o Estado vai herdar tapetes e mesas utilizados nas olimpíadas do Rio, realizando, em contrapartida, a Copa Brasil da modalidade, em Manaus. “Gastaríamos muito dinheiro se tivéssemos que investir nesses materiais. Apenas uma anilha custa 30 mil reais”, observa Fabrício.

Piscina Olímpica

O antigo projeto da reconstrução do parque aquático recebeu sete milhões do Governo Federal, mas os planos para a Vila Olímpica mudaram quando Manaus recebeu a notícia de que a piscina usada nas olimpíadas viria para Manaus. “Com o dinheiro que poupamos ao receber a piscina olímpica por doação, poderemos fazer outras obras na Vila”, adianta Fabrício.

Segundo ele, na próxima semana, o engenheiro de infraestrutura do Ministério do Esporte virá a Manaus avaliar a obra na Vila Olímpica e, logo que for possível, todo o material da piscina chegará à cidade, onde começará sua instalação de forma imediata. Todo o processo de instalação está previsto para acontecer durante três meses, e o prazo para a entrega do parque aquático é até o mês de agosto.

 “Gostaríamos de ver essa piscina funcionando o mais rápido possível, mas precisamos passar por toda essa parte burocrática também. Mas quando a piscina estiver pronta, ela será nossa maior vitória”, disse ele.

Jiu-jítsu

Depois, foi a vez de Fabrício se reunir com o Ministro do Esporte, Leonardo Picciani, e com o Presidente da Confederação Brasileira de Jiu-jítsu, Walter Mattos Filho. Durante a reunião que também teve a presença do governador José Melo, houve o acerto dos detalhes da ida dos atletas que venceram suas categorias no National Pro de Jiu-Jítsu, para os Emirados Árabes Unidos, através de teleconferência com a Organização do Abu Dabhi World Pro Championship de Jiu-jítsu.

 “Recebemos o reconhecimento pelo trabalho feito em Manaus no último evento (National Pro), e até o Sheik de Abu Dabhi está animado com tudo que estamos fazendo. Quero, em nome de todos os atletas amazonenses, agradecer pelo apoio na conquista do legado olímpico e pela parceria na composição da primeira seleção brasileira da história de jiu jítsu, que nasceu em Manaus”, disse Fabrício, que também falou que o contato dele e do governador José Melo com os Emirados Árabes está rendendo projetos que irão gerar frutos comerciais para o Amazonas.

Publicidade
Publicidade