Publicidade
Esportes
Craque

Falta de estádios e Copa 2014 são temas da reunião desta terça na Federação Amazonense

Possível adiamento do campeonato estadual pode esquentar encontro, que acontece à tarde 12/11/2013 às 11:11
Show 1
Opiniões divergentes vão marcar as discussões
Augusto Costa Manaus, AM

A falta de estádios na capital e até a possibilidade de adiar o início do Campeonato Estadual de 2014 - previsto para o dia 18 de janeiro - para o segundo semestre, serão os temas da reunião desta terça (12) às 15h na Federação Amazonense de Futebol (FAF), com os dirigentes das dez equipes que vão disputar a competição.

O presidente do Sul América, Luiz Costa, adiantou ontem que vai propor que o amazonense seja realizado depois da Copa do Mundo por causa da falta de estádios e o forte inverno amazônico em janeiro, o que prejudicaria as equipes locais. Mas a medida promete gerar polêmica, pois os representantes do Nacional, Penarol e Fast, já se posicionaram contrários.

De acordo com o diretor de futebol da FAF, Ivan Guimarães, a reforma dos estádios Roberto Simonsen, o campo do Sesi, em Manaus e Gilberto Mestrinho, em Manacapuru, além do atraso nas obras da Colina e do Centro de Treinamento da Copa Carlos Zamith, podem atrapalhar o Campeonato Amazonense.

“Eu convoquei uma reunião para amanhã (hoje) com os dirigentes dos clubes porque uma série de situações precisam ser resolvidas. A idéia é debater para ver o que eles decidem. As obras da Colina e do CT Carlos Zamith atrasaram, mas temos as opções do Floro Mendonça (Itacoatiara), o Francisco Garcia (Rio Preto da Eva), além dos estádios de Borba e Manaquiri. Podemos até chegar a um consenso e começar a partir de 1º de janeiro”, sugeriu Guimarães.

A favor
Na avaliação do presidente do Sulão, Luiz Costa, a melhor opção para os clubes é começar o Estadual no segundo semestre. Ele disse que durante a reunião os dirigentes dos clubes vão apresentar as suas proposta e aprovar o que for melhor para o futebol amazonense.

“Não vamos ter campo em janeiro em Manaus, nem a Colina e nem o CT do Coroado. Poderíamos fazer no segundo semestre ou um pouco antes em março, como é o campeonato de Roraima. Também vamos ter muita chuva nesse período. Não vamos ficar sem futebol, teremos o Nacional e o Princesa na Copa Verde”, opinou Costa.

Contrários
Para o vice-presidente do Naça, Manoel do Carmos Chaves, o Maneca, a medida é totalmente inviável. Maneca criticou a ideia de adiar a competição. “Não sou maluco. O calendário oficial da CBF deve ser cumprido. Para o Nacional e o Princesa do Solimões, seria a “morte” disputar duas competições oficiais (Copa Verde e Copa do Brasil) e depois parar e só voltar no segundo semestre. Em fevereiro, os estádios estarão prontos. Não podemos fazer o campeonato da mediocridade, isso seria uma regressão”, disparou Maneca.

O presidente do Fast Clube, Edinailzon Rozenha, também discordou e disse que vai votar a favor que o calendário do Estadual não seja alterado.

“O Fast é totalmente contra essa proposta. Já consultei todos os jogadores contratados e se isso acontecer (adiar o Estadual para o segundo semestre), vou ter que ficar pagando o elenco sem jogar”, lamentou Rozenha.

Publicidade
Publicidade