Publicidade
Esportes
Jovens Titãs do Tricolor

Fast Clube comemora um ano da conquista da Copa Norte Sub-20

Há um ano, os meninos do Tricolor de Aço travavam a "Batalha da Curuzú" e traziam para o Amazonas o troféu inédito de campeão do maior torneio de base da região Norte do País 30/08/2016 às 15:08
Show dscn3407 1
Meninos do Fast derrotaram o Paysandu em pleno estádio da Curuzú, em Belém, e trouxeram a taça da Copa Norte Sub-20 para o Amazonas. (Foto: reprodução)
Denir Simplício Manaus (AM)

Quanto tempo se leva para esquecer um feito histórico? Ou qual período é necessário para que nomes importantes mergulhem na escuridão do esquecimento? Poucos vão lembrar mais neste mesmo dia, há um ano, um grupo de garotos do Amazonas quebrava a hegemonia dos paraenses no futebol ao conquistar a Copa Norte Sub-20. Os meninos do Fast Clube, liderados pelo técnico Darlan Borges à beira do campo e por Jackie Chan dentre dele, calavam a torcida do Paysandu em pela Curuzú, em Belém, e traziam para Manaus o troféu do torneio de base mais importante da região Norte do Brasil.

Passado um ano da inédita conquista, por onde andam esses jovens heróis? Será que o futebol local lhes reservou um bom futuro?  O CRAQUE foi atrás dos meninos do Tricolor que não tiveram medo do “bicho Papão” e marcaram seus nomes na história do futebol Baré.

Naquele dia 30 de agosto de 2015 o time que ousou despachar o Paysandu dentro de seu estádio era formado por: Bruno Saul; Pedra, Guigui, Thiago e Matheus Iton; Niashe, Renê e Eli; Jackie Chan, Alexsander e Lucas Castro. No decorrer da partida, o técnico Darlan Borges ainda promoveu as entradas de Rafael Lobato e Françoar.

Maioria no time de cima

Dos nomes que participaram da “Batalha da Curuzú” continuam no Rolo Compressor o goleiro Bruno Saul, o zagueiro Guigui, o lateral Matheus Iton, o volante Renê e os meias Rafael Lobato e Françoar.

Segundo o ex-técnico da equipe, Darlan Borges, que atualmente curte férias e estuda propostas, o volante Eli deve estar de mudança para o Manaus FC. Além dele, Niashe está se dedicando aos estudos, onde faz faculdade de Educação Física. O lateral Rodson Pedra e o atacante Alexsander deixaram o futebol profissional de lado e estão disputando o Peladão, enquanto o meia-atacante Lucas Castro, o Lucas Neymar, tenta a sorte entre os profissionais do Rio Negro.

Chan no Naça e Thiago em Natal

Astro daquela equipe, o veloz atacante Jackie Chan recentemente trocou o Fast Clube pelo Nacional. O goleador tenta achar seu espaço no time de “importados” do Leão da Vila Municipal, mas ainda não estreou oficialmente na nova casa. O único a deixar o Estado foi o zagueiro Thiago, que hoje defende as cores do Alecrim, de Natal.

Questionado se a geração que marcou história sob seu comando no Tricolor está se perdendo, Darlan Borges diz que a maioria está bem encaminhada no esporte. “A maioria conseguiu subir pro profissional, poucos que não subiram foi por falta de oportunidade e dinheiro mesmo, já que a maioria dos clubes está investindo pouco por falta de dinheiro”, pontuou o treinador.

Relatos da decisão

Para quem não acompanhou a “Batalha da Curuzú”, um breve relato do que foi aquele jogo histórico: Fast Clube e Paysandu chegaram à decisão da Copa Norte Sub-20 invictos. Os donos da casa era os favoritos ao título e contavam com o apoio de sua torcida, que por mais que não lotasse o estádio, fazia enorme pressão contra os amazonenses. Pressão essa de que nada adiantou, pois o Rolo Compressor passou por cima do Papão, abrindo 2 a 0 no placar.

Somente na parte final da partida, com a expulsão do lateral Rodson Pedra e o gol do Paysandu, é que o jogo ficou ainda mais tenso para os garotos do Fast. Para complicar ainda mais, a arbitragem marca pênalti duvidoso contra o time do Amazonas aos 45 minutos do segundo tempo. Confusão armada e o Tricolor deixa o campo de jogo e só após muita conversa é que a decisão foi retomada. Foi quando a estrela do goleiro Bruno Saul brilhou na defesa da penalidade e a garra do zagueiro Thiago, que salvou o rebote em cima da linha, deram o título aos amazonenses.

Vale lembrar que essa mesma equipe representou o Fast na quebra do jejum de 44 anos sem títulos do clube. Na conquista da Copa Amazonas, em outubro do ano passado, praticamente o mesmo elenco venceu o Manaus por 5 a 2 na final e marcaram de vez seus nomes na história do clube.

Publicidade
Publicidade