Publicidade
Esportes
'Final antecipada' do Barezinho?

Fast e Manaus empatam em 1 a 1, mas Gavião leva a melhor nos pênaltis

Candidatos ao título do Barezinho nesta tenmporada, Tricolor de Aço e Gavião do Norte fizeram a prévia do que pode ser a decisão do Estadual de Juniores deste ano neste sábado (21), na Colina 21/05/2016 às 22:28
Show img 8048
Purá marcou o gol de empate com o Rolo Compressor e ainda marcou o dele nas cobranças de penalidades (Foto: Denir Simplício)
Denir Simplício Manaus (AM)

Fast Clube e Manaus FC fizeram no início da noite deste sábado (21), no estádio da Colina, na Zona Oeste de Manaus, o que para muitos deve ser a grande finalíssima do Barezinho deste ano. Após 80 minutos de jogo, o empate em 1 a 1 levou o duelo para a cobrança dos pênaltis, onde o Gavião do Norte foi melhor e saiu com o ponto extra da partida. Com o resultado, o Rolo Compressor se manteve na ponta da tabela, enquanto o time alviverde assegurou a vice-liderança do torneio. 

Com 26 conquistados no Barezinho, o Tricolor de Aço entrou em campo tranquilo e com a primeira colocação do Estadual Sub-20 "debaixo do braço". Por outro lado, o time do Gavião do Norte, com 20 pontos, jogava para manter a segunda colocação na tabela da competição. Com times bem postados em campo, a luta era constante pela posse da bola e, consequentemente, pelo comando do jogo.

O primeiro tempo foi de boas chances de ambos os lados, mas sem a bola balançar as redes. Com time completo, o Manaus FC tentava o gol pelos pés do artilheiro Napão. Pelo lado do Tricolor, Juninho era a novidade na frente, enquanto o goleiro Guanair Júnior fazia o rodízio com o companheiro Bruno Saul, que ficou no banco de reservas.

Bom futebol em campo e "fanfarrões" na arquibancada

O intervalo veio e enquanto a dupla de treinadores Darlan Borges, do Fast, e Igor Cearense, do Manaus, instruíam seus comandados, outra dupla nas arquibancadas dava vexame. Um princípio de briga entre dois torcedores nas dependências da Colina foi apaziguada com a chegada da polícia, que "encaminhou" um dos "fanfarrões" para fora do estádio.

Quando a bola voltou a rolar o que se viu foi a busca pelo gol. E o Rolão foi mais rápido que o Gavião e abriu o placar logo aos 8 minutos da segunda etapa. Bela triangulação do ataque fastiano e Françoar achou Werley livre na área do Manaus: 1 a 0 Fast. O Alviverde da Capital não deixou a "peteca cair" e igualou o marcador oito minutos depois com Purá, depois de bom passe de Romarinho: 1 a 1.

O jogo pegou fogo e as entradas começaram a ficar mais quentes. Numa dessas pegadas mais fortes entre os meninos em campo, René, do Fast, e Marquinhos, do Manaus FC, foram expulsos da partida. Pior para o atleta do Gavião, que deixou o estádio direto para o pronto socorro com suspeita de uma fratura no maxilar inferior. Apito final e disputa de penalidades para saber quem levaria o ponto extra do duelo.

Na "marca da cal" o Manaus FC converteu todas as suas cobranças com Purá, Napão e Luan. Já o Tricolor de Aço perdeu uma penalidade pelos pés de Rafael -  Lucas Peteca e Matheus Iton converteram. Com o resultado, o Fast se isolou ainda mais na liderança da competição com 27 pontos. O Manaus FC chegou aos 22 e não pode mais ser alcançado pelo Sul América, que tem 18 pontos, e entra em campo neste domingo (22), contra o Clipper, pela 10ª e última rodada da fase inicial do Barezinho.  

"Jogo muito bem disputado, duas equipes de qualidade e, com certeza, devem fazer a final desse campeonato. Tivemos oportunidades de matar o jogo, mas não fomos felizes. Aí levamos pros pênaltis e infelizmente acabamos perdendo. Mas o importante é que o objetivo foi conseguido, ser o primeiro lugar, abrir cinco pontos de vantagem para o segundo colocado. O que nos dá a tranquilidade de trabalhar nesse segundo turno e nos dá a vantagem na semifinal e final do campenato", comentou Darlan Borges, técnico do Fast.

"A gente trabalha no dia dia, na semana, essa bola na área e foi numa bola na área que a gente fez o gol. Agora é manter a humildade, os pés no chão, trabalhar durante a semana porque a próxima fase vai ser complicada... são times muito bons. Dos times que se classficaram não tem nenhum bobo. E esse jogo era o que a torcida queria ver, por isso vamos continuar trabalhando forte", disse Purá, atacante do Manaus FC.

Publicidade
Publicidade