Sábado, 18 de Setembro de 2021
FUTEBOL

Fast perde para o Castanhal-PA por 2 a 1 e se complica na Série D

Tricolor de Aço perdeu novamente para o time paraense e acumulou sua quarta derrota seguida no campeonato



WhatsApp_Image_2021-07-24_at_17.06.03_6088FFEB-00DE-4B88-922D-9FF1D0235435.jpeg Foto: Jivalgo Lemos/Castanhal
24/07/2021 às 17:08

Abrindo o returno do Grupo A01 do Brasileirão Série D 2021, o Fast visitou neste sábado (24), o Castanhal-PA, no estádio Modelão, que fica na cidade homônima ao time e não se saiu bem. O Tricolor de Aço acabou derrotado pelo placar de 2 a 1 e acumulou sua quarta derrota seguida no campeonato, o clube ainda pode despencar na tabela, ocupando a sexta posição com seis pontos, o time ainda pode ser ultrapassado por GAS-RR (7º)  ou Atlético-AC (8º) que ainda se enfrentarão neste sábado em Boa Vista-RR.

O placar da vitória foi construído com um gol relâmpago de Lukinha enquanto Pecel completou o placar para o Japiim da estrada. Jackie Chan descontou para o Rolo Compressor. As equipes agora se preparam para a sequência do campeonato. Líder absoluto, o Castanhal vai até o Acre para duelar contra o Atlético-AC, enquanto o Fast retorna para Manaus onde fará um confronto direto contra o GAS-RR, no estádio da Colina. 



Apito inicial e drama tricolor

Após o início da partida, o Fast sequer teve tempo de se aclimatar em campo. Aos dois minutos, os comandados de Ricardo Lecheva já estavam em desvantagem no placar.  Lukinha tabelou com Pecel e arriscou no canto direito do goleiro Iago Sales. O meia-atacante aurinegro, que abriu o placar no Estádio Modelão com um golaço.

O Tricolor de Aço tentava reagir, mas em casa, era o Japiim que dava as cartas. Mesmo com a vantagem, os aurinegros se mantiveram em cima tentando ampliar o marcador e ‘matar’ a partida de forma precoce. Mas parava na, agora atenta, defesa fastiana. 

Empate tricolor e partida equilibrada

Precisando vencer, mas em desvantagem, o tricolor tentava alugar o campo adversário para reter a bola e criar oportunidades. Além disso, as linhas de marcação do Rolo Compressor subiram com o objetivo de sufocar a saída de bola adversária, tática que deu certo.

Aos 10 minutos de jogo, o goleiro do Castanhal, Axel, saiu jogando com o zagueiro Cleberson, o defensor se atrapalhou sozinho com a bola e acabou perdendo a bola para  André Carlos, o artilheiro do Fast serviu Jackie Chan que aproveitou a oportunidade e igualou o placar. 1 a 1.


Após o gol, o Fast tentou manter a tática do ‘perde-pressiona’, mas acabou perdendo ímpeto ofensivo. Por outro lado, o Castanhal esperava mais o tricolor no campo de defesa para então sair em velocidade. As estratégias escolhidas deixaram o jogo naturalmente burocrática até a parada técnica.

Equipes hidratadas e Castanhal na frente

Fazendo 33ºc na região metropolitana de Belém, as equipes estavam muito desgastadas já na primeira etapa. Após a parada para hidratação, os times retornaram a campo em diferentes rotações, enquanto o Fast voltou em marcha lenta, o Castanhal retornou ‘ligado no 220v’, e aproveitou o momento de ostracismo do adversário, para voltar a frente no placar. 

Aos 34 minutos, o atacante Lukinha finalizou e o goleiro Iago Sales fez a defesa de forma esquisita, cedendo escanteio ao adversário. Após cobrança do tiro esquinado, a bola passou por toda a defesa do tricolor até encontrar o atacante Pecel, que  apareceu para testar firme para o fundo do gol. 2 a 1.

Segunda etapa mais lenta

Os times voltaram do intervalo com propósitos diferentes, o Fast foi pra cima, Lecheva tirou o zagueiro Guigui para pôr Flamel, um meia criativo. Enquanto o Castanhal, apenas jogava para fazer a manutenção do resultado. 

A tática fastiana deu certo já no primeiro minuto. A equipe conseguia exercer pressão ofensiva e se fazer presente em maior número no campo adversário. Já o Japiim, buscava nos contra-golpes espetar o Fast. 

Equipes pouco criativas

Parando nos setor defensivo do aurinegro, o Fast não conseguiu o seu sonhado gol de empate. E embora estivesse maior tempo com a bola e dominasse as ações, não conseguia transformar esse amplo desempenho tático em chances de gol, tendo para si uma posse de bola completamente estéril.

Já o Castanhal, fez uma segunda etapa absolutamente tranquila e, embora estivesse encurralado no campo de defesa, não esteve em nenhum momento perto de perder o resultado positivo. Pelo contrário, foi pelo lado do Castanhal que houve a melhor chance da segunda etapa. 

Aos 36 minutos do segundo tempo, o experiente atacante Fidélis fez excelente jogada individual, limpou o  marcador e ficou cara a cara com Iago Sales, mas no momento da finalização, artilheiro que é, preferiu arrematar ao invés de servir um companheiro melhor posicionado, a bola acabou saindo por cima do gol.

A partida seguiu 2 a 1 até o apito final da árbitra, Eloane Gonçalves Santos.

João Felipe

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.