Publicidade
Esportes
Craque

Fast quer ‘fisgar’ o Tubarão e Elielton pode ser o ‘arpão tricolor’ para a conquista da vaga

Veloz e habilidoso, o jovem atacante do Rolo Compressor é considerado uma arma pelo técnico João Carlos Cavalo. Com seis gols no Barezão, o jogador é uma opção para o segundo tempo do duelo com o Princesa do Solimões  04/06/2015 às 15:27
Show 1
Elielton é uma das opções de João Carlos Cavalo para o ataque do Rolo Compressor.
Denir Simplício Manaus (AM)

Um bom pescador sabe que pra fazer uma  boa pescaria requer paciência, uma isca boa e, principalmente, bons anzóis.  Mas quando o peixe é muito grande, como um tubarão, por exemplo, o que fazer? O técnico do Fast Clube, João Carlos Cavalo, tem algumas soluções para fisgar um certo Tubarão e o jovem atacante Eliélton pode ser o arpão na pesca por uma vaga na final do Campeonato Amazonense.

Com apenas 1,58m de altura, Elielton é o  menor jogador do elenco do Rolo Compressor, mas um gigante com a bola nos pés. Com seis gols no Estadual, o atacante sempre que é preciso é colocado em campo pelo treinador fastiano  para  contra-atacar os adversários e pode ser uma das armas para eliminar o Princesa do Solimões na segunda partida das semifinais do Barezão.

O paraense de Monte Alegre esteve no grupo do Fast Clube em 2013, quando o Rolo Compressor caiu diante do Tubarão, também nas semifinais daquela temporada. O atacante não pensa em revanche, mas quer levar a melhor desta vez.

“Não existe  sentimento de vingança. Mas, de tristeza por termos perdido. A gente quer dar o troco, assim como eles tiraram a gente naquela semifinal, nós queremos chegar no domingo e eliminar eles, e passar pra final”, confessou. 

Arpão pro 2º tempo

Além de ser o atleta de menor estatura do grupo tricolor, Elielton também é o mais jovem. Aos 22 anos, o atacante foi anunciado pela diretoria do Fast Clube com o apelido de “Embuá”, mas o nome não pegou entre os jogadores do Rolo Compressor, que o chamam pela alcunha de ‘Baixola”.

Elielton leva na esportiva as brincadeiras e sabe de sua importância no elenco fastiano. “Eu tenho entrado no decorrer das partidas e  tenho me saído bem. O professor pode me usar como arma no segundo tempo, se tiver um jogo complicado”, disse o “pequeno serelepe”, que entorta os zagueiros, assim como fez na vitória diante do Penarol, no segundo turno, quando  entrou na segunda etapa e fez o terceiro e decisivo gol da partida.

“Eu sou um jogador rápido, que caio pelas pontas. Naquele jogo eu entrei no segundo tempo, quando o time estava com um jogador a menos e fui feliz. Tive a oportunidade de fazer meu sexto gol e dar o alívio ao time”, explicou Elielton.

Revelado na base do São Francisco de Santarém, Elielton sabe da pressão pela falta de títulos do Tricolor de Aço, mas acha que com o trabalho que está sendo feito pelo grupo do Fast o jejum está próximo de acabar. “Títulos são sempre importantes. Mas nós estamos trabalhando firme e tenho certeza que na hora certa vai chegar e pode ser agora”, finalizou o atacante.


Publicidade
Publicidade