Publicidade
Esportes
Craque

Fast reencontra a vitória vencendo Operário com goleada

Após tropeço contra o Nacional Borbense, o tricolor de aço, voltou a vencer no Carlos Zamith. Em um jogo com três expulsões, prevaleceu o coletivo do Fast, que goleou o lanterna Operário 17/03/2015 às 23:04
Show 1
A coletividade foi o diferencial para o Fast golear o Operário
Camila Leonel Manaus (AM)

O Rolo Compressor voltou a fazer vítimas nesse Barezão ao vencer o Operário por 4 a 0, no estádio Carlos Zamith, na noite de tarça-feira (17). Em um jogo quente, com três expulsões e dois gols do Fast anulados, prevaleceu o toque de bola do Tricolor da capital.  Com isso, o Fast chega aos nove pontos e ocupa a terceira colocação, já o Operário continua na lanterna do campeonato com um ponto.

Mesmo com forte chuva, o jogo começou movimentado. Aos cinco minutos, Felipe empurrou a bola para o gol, mas o assistente marcou impedimento. Aos oito minutos foi a vez de Charles ter um gol anulado pela arbitragem. Os jogadores, por suas vez entraram em campo com os nervos a flor da pele. Com apenas 25 minutos de jogo, Rondinelli, Ítalo e Imperador já haviam recebido cartão amarelo.

Aos 30 minutos, Felipe foi expulso após entrada dura em Alberto. Mesmo com um jogador a menos, o Fast abriu o placar aos 35 minutos após tabela pela esquerda entre Parintins e Rondinelli, que chutou. A zaga do Operário afastou e, na sobra, Dinamite ajeitou e bateu no canto direito do gol de Victor. O Fast continuou pressionando e aos 46 ampliou o placar. Em jogada pela esquerda, Michel Parintins chutou para o gol. O goleiro Victor rebateu e na sobra, Charles apenas precisou da um empurrão para o segundo gol do Fast.

Gols e expulsões

Na volta do intervalo, o jogo ficou morno. O Operário, sem criatividade, tocava a bola no seu campo de defesa e quando conseguia se aproximar da área fastiana, arriscava de fora da área, levando pouco perigo ao gol de Zé Carlos.

O Fast, por sua vez, tocava a bola com objetividade , mas pecava nas finalizações. Com a entrada de embuá, aos 26 minutos, o Fast passou a agredir mais o Operário, com belas jogadas individuais. Se o time do interior possuía vantagem numérica em campo, essa vantagem acabaria aos 27 minutos, quando Jandão, recebeu o segundo amarelo e, consequentemente, o vermelho. O Operário ainda teria outro jogador expulso: Clemilton aos 42 minutos.

No fim do jogo, o Fast ainda teve Fôlego para transformar a vantagem em goleada. Aos 45, após uma sobra de bola na área, Embuá virou o jogo para Amaral matar no meio, ajeitar e soltar uma bomba rasteira da intermediária para o fundo das redes. No minuto seguinte, Da Silva recebeu no meio, limpou a bola e chutou forte, sem defesa para Victor.

Na próxima rodada, o Fast enfrenta o São Raimundo, na Colina no sábado, às 15 horas,com transmissão da TV ACRITICA. Já o Operário enfrenta o Rio Negro no Carlos Zamith, às 16h.

 


Publicidade
Publicidade